A Europa em Guerra contra o Airbnb
Viagem

A Europa em Guerra contra o Airbnb

O Airbnb é mais barato que um hotel, mais cômodo para viajantes que querem privacidade e faz com que você tenha uma noção de como é realmente viver no local. Todas essas facilidades fizeram explodir esse tipo de serviço. Mas, então, por que a Europa está em guerra contra o Airbnb?

O Airbnb se alastrou pela Europa nos últmos anos

Ao mesmo tempo que traz benefícios para quem visita a cidade de destino, nem todos os “hóspedes” estão dispostos a se adaptar a cultura local e seguir as regras. Muitos deles trazem hábitos e costumes que não agradam os moradores locais.

Ou ainda pior, por estarem a passeio, acreditam estarem livres para fazer o que “der na telha” e não observam por exemplos as leis do país ou sequer respeiram as regras da vizinhança, como horários de silêncio, coleta de lixo e outros costumes do lugar.

+Leia também: Está indo Para Cingapura? 10 Leis Que Você Não Vai Querer Quebrar!

Isso prejudica muitas vezes o convívio e a rotina diária dos residentes habituais. Neste caso, o que é bom para o turista se torna o pior pesadelo do morador nativo da região.

O Ideal Airbnb

A ideia inicial do Airbnb era mais modesta do que se esperava. O próprio nome remete ao colchão na sala. Air Mattress, o famoso colchão de ar utilizado para acomodar um hóspede temporário, mais o “bnb” ou bed and breakfast, que é o conceito de pousadas onde os hóspedes normalmente ficam por um curto período de tempo.

Bed and breakfast

Nessas pousadas, além de uma cama, desfrutam de um café da manhã. Por isso, o Airbnb seria um conceito ainda mais singelo. Mas, ganhou força e sua aceitação no mercado foi surpreendente.

Isso fez com que o Airbnb deixasse o conceito inicial de bnb e se tornasse, muitas vezes, apartamentos completos. Muitas vezes mais luxuosos que grandes hotéis. Fica difícil competir com isso.

Precisa mandar dinheiro para o exterior?

TRANSFERWISE

A Europa Contra-Ataca!

Como já se era de esperar, muitas cidades europeias onde o Airbnb tem se tornado cada vez mais utillizado por turistas, tem criado medidas para estancar a proliferação de residências que aderem à plataforma.

Amsterdam, Porto, Berlim, Lisboa, Barcelona e Praga são só algumas das cidades que comprovam que a Europa está definitivamente em guerra contra o Airbnb.

Europa em guerra contra o Airbnb

Elas alegam que a ideia inicial da plataforma que era de hospedar um turista alugando um de seus quartos, preparando o café da manhã e levando-o para dar uma volta na cidade sob sua supervisão. O que fazia jus a ideia de economia partilhada.

Mas, depois que a ideia de “Bed and Breakfast” muito difundida nos Estados Unidos, ganhou maiores proporções, não foi só a tranquilidade local e a rotina dos moradores que foi colocada em cheque.

Com a grande oferta de quartos ou apartamentos completos, os valores dos aluguéis tem disparado. E o residente também tem encontrado dificuldade de encontrar um lugar acessível para viver.

Fora o fato de que você não tem ideia de quem estará vivendo na porta ao lado na próxima semana e qual é o propósito da estadia. Sem nome no contrato da residência, se a pessoa sumir, aonde será encontrada.

Ainda que a plataforma tenha uma estrutura para casos de não pagamento, alguns prejuízos não estão cobertos pelo Airbnb. Quebrar coisas, danificar o apartmanto ou afins podem ir mais além. E depois, não é difícil criar um perfil “fake” em plataformas hoje em dia.

Solucionando o Problema

Entre as restrições impostas por algumas famosas cidades turísticas europeia e que tem se ganhado aliadas ao redor do mundo, como Nova Iorque, por exemplo, são:

  • Limite de tempo de locação de residências completas para turistas sazonais
  • Locação de quartos somente se o proprietário residir no local
  • Delimitar zonas da cidade que possam realizar a prática.
  • Somente o proprietário do imóvel poderá alugar (inquilinos não poderão sublocar).

O próprio Airbnb decidiu se adiantar e em algumas cidades como Londres e Amsterdam já impôs limite de tempo de alguel. Quem alugar um imóvel por mais de 90 dias na capital inglesa e 60 na capital holandesa vai precisar de uma licença especial.

Guerra do Airbnb

O futuro do Airbnb é incerto em muitas dessas cidades europeias, mas a verdade é que ele já se tornou abrangente e acessível demais para ser parado, assim como muitas outras plataformas.

O mundo está mudando e as adaptações são necessárias. Será possível conter a evolução da tecnologia capaz de proporcionar tantas facilidades, mas, que ameaça a originalidade e autenticidade de um lugar?

Se a Europa vai continuar em guerra contra o Airbnb só o tempo vai dizer. Mas, enquanto isso, continue tendo ótimas viagens.

Até o próximo post,

KS.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.