Publicado em Cultura, Dicas, Viagem

O Que Você Precisa Saber Antes de Viajar Para o Exterior

O Que Você Precisa Saber Antes de Viajar Para o Exterior

As coisas podem ser difíceis se você decide mudar para o exterior em diversos aspectos e cada um tem que saber lidar com isso à sua maneira. Existem algumas coisas que você precisa saber antes de viajar para o exterior ou mudar definitivamente.

Dicas Práticas Para Viajar Para o Exterior
Quando você viaja um mundo novo se abre para você

Seja uma viagem de férias ou uma mudança “definitiva”, existem fatores que devem ser levados em consideração quando você decide deixar o país. Desde situações práticas, até medidas que vão lhe ajudar a ter uma viagem tranquila ou lidar com a mudança e se adaptar à nova cultura.

Leia também Choque Cultural – As 4 Fases Que Você Deve Vencer

Um clichê de que vou me valer nesse post  é “o seguro morreu de velho”. Afinal, usando mais um, “é melhor pecar pelo excesso”! Então preste atenção nos detalhes para não se deparar com armadilhas que você poderá perceber somente quando já for tarde demais.

Investindo No Lado Emocional

Nem só de razão vive o ser humano. O lado emocional pode ser um fator decisivo na hora de decidir passar um tempo a mais sob os ares de outra cultura e ele não deve ser deixado para escanteio de forma alguma.

Lado Emocional
Não dar atenção ao lado emocional pode ter consequências inesperadas

Procurar se adaptar à sua nova situação pode ser crucial, até para que você decida se vai ficar ou não no lugar escolhido. Criar expectativas muito fantasiosas pode causar um tombo do qual talvez você não consiga se recuperar tão rápido.

Neste momento você já tem uma cultura diferente inteirinha para se adaptar, essa NÃO é a hora de inventar moda e piorar as coisas para o seu lado. Por isso, é importante tomar cuidado com isso.

Mas, o que você quer dizer com isso Kacau? Eu quero dizer o seguinte: se você mora sozinho durante muito tempo no Brasil, venha morar sozinha (difícil à beça também).

Ainda que você tenha um (a) namorado (a) sensacional, e queiram viver juntos eternamente, ou aquela amiga que é quase uma irmã, nem pense em dividir o mesmo teto que eles sob novos ares.

Isso mesmo que você leu! Ah, mais com alguém é sempre mais fácil. Se for seu marido ou alguém com quem você já more junto no Brasil, está tudo certo. Mas, essa não é a hora de testar se o amor e a amizade de vocês são fortes e verdadeiros o suficiente.

Ainda que seja, não há amor que resista a tanta mudança e adaptação. Gente, morar fora não é brincadeira não. Pergunta para pessoas que tiveram que mudar suas vidas completamente de uma hora para a outra a quantidade de perrengue e sentimentos pelos quais passaram.

Imagine viver 24 HORAS por dia ao lado de alguém que você não convivia antes, portanto não sabe nada sobre seus costumes, hábitos e principalmente DEFEITOS, que neste caso vão pesar muito mais.

Debaixo de uma pressão que já não é pequena, esses defeitos podem tomar uma proporção astronômica. E o que era conto de fadas pode virar um thriller bem pesado.

Morando junto Briga

Na minha época de faculdade, após tentar por uns longos dois meses morar com uma moça, decidi que nunca mais dividiria apartamento com um estranho. Nada contra ela, que tinha seu próprio modo de viver.

O problema é que já no Brasil o choque cultural que existe entre as regiões foi, para mim, pior do que quando mudei de país. E também, não tem nada melhor do que seu canto, suas coisas, sua maneira de agir ou lidar elas.

Ser obrigado a se adaptar e ainda mudar seus hábitos, pode significar muito stress e desencadear problemas mais sérios sem que você perceba. Portanto, minha dica nesse caso é para que você tenha cautela e tente mudar o menos possível a forma como vivia antes.

Eu aconselho você a NÃO SE ISOLAR. Criar conexões vai te ajudar a manter uma rede de apoio que pode significar a indicação para um emprego, tirar dúvidas, te ajudar a se acomodar e a entender melhor o estilo de vida local.

Se achar que está sobrecarregado talvez seja a hora de falar com um terapeuta. A terapia pode te ajudar a lidar melhor com suas emoções e canalizá-la para outras coisas mais produtivas. Praticar esportes e ter uma rotina ativa, vai fazer toda a diferença na sua qualidade de vida.

Faça caminhadas ou corridas diárias. Isso vai te ajudar a se familiarizar com a região que você mora e de quebra, deixar as doenças e o stress bem longe. Yoga e meditação são técnicas sensacionais se você prefere ficar em casa, sem deixar de cuidar do seu corpo.

Aprenda o idioma local. Eu mesma, já perdi oportunidades ótimas assim que cheguei na Suíça, porque moro no cantão alemão. Tive uma imensa dificuldade de aprender o idioma porque apesar de eu aprender alemão na escola, nas ruas você pratica o suíço-alemão.

Mas, ainda assim acho válido aprender o alemão aqui, já que nas escolas, empresas, o alemão é mais usado, ainda mais porque vai ter gente de todos os cantos do globo. O inglês me salvou e me salva todos os dias quando não entendo o que está sendo falado, mas, é sem dúvida muito importante não se limitar a ele, caso não seja o idioma do país escolhido.

Enfim, não é tão fácil assim mudar de cidade, quanto mais de país. Mas, te garanto que tem sim seu lado positivo. Nesse post Morar Fora é Bom?, eu falo mais sobre como é mudar de país, corre lá e aproveite para saber mais sobre esse novo mundo que se abre para você.

Usando a Tecnologia a Seu Favor

Lembra daquela máxima “a tecnologia separa quem está perto e une quem está longe”? Pois é, essa é a hora de se valer dela. Com tantas ferramentas disponíveis para entrar em contato com aqueles a quem amamos, neste momento ela será de extrema valia.

Usando a tecnologia a seu favor

Portanto, se joga! Skype, WhatsApp, Telegram, FaceTime, Facebook, Instagram, não importa o nome da ferramenta que você vai usar para falar com familiares e amigos, apenas fale!

Lembro quando eu e minhas duas irmãs éramos pequenas e meu pai morava do outro lado do globo. As ligações tinham que ser muito rápidas, porque eram de um valor absurdo.

Para podermos falarmos mais, nos comunicávamos por meio de cartas. Sim, CARTAS! Como sinto saudade delas. Além de escrever, desenhávamos nas cartas, ou investíamos em saudosos papeis de carta, a fim de demonstrar todo o nosso amor ao papis.

O mais engraçado, é que naquela época, o preço do envio era determinado por peso, mas não como hoje que o peso é medido por níveis. Antes era o peso específico daquela carta e o valor era calculado baseado nisso.

Sendo assim, a carta tinha que ser o mais leve possível para ficar mais barata e para isso escrevíamos à lápis. Exatamente! A tinta da caneta pesa mais… 🙂

Carta escrita a lápis.jpg

E também tinha o lance da espera. Não existia Sedex 10 ou Sedex Hoje. Eram dias e mais dias de espera até receber ou ter sua carta recebida no destino. Às vezes, a gente até esquecia que tinha mandado e só lembrava porque chegava a carta-resposta.

Hoje em dia, se você dispõe de ferramentas modernas e, principalmente, com custo baixíssimo ou até zero, não economize. Escolher pelo isolamento, nesse primeiro momento, pode ser muito doloroso e isso pode fazer toda a diferença em como você vai seguir em frente (ou não).

Se Sua Viagem é de Férias ou a Trabalho Não Esqueça de:

1. A esta altura o visto já deve estar pronto. Mas, se você por acaso ainda está planejando a viagem, leia este post sobre os Países Que Precisamos ou Não de Visto de turismo. Essa é sem dúvidas a primeira medida a ser tomada quando você decide o destino que quer viajar.

2. Desbloquear o cartão de crédito para uso fora do território brasileiro é indispensável se você pretende usar seu cartão no exterior. Você pode fazer isso direto na sua agência ou pelo aplicativo. É super simples e, acredite, pode salvar sua vida. No post Aplicativos Úteis Na Sua Viagem, eu dou dicas de outros aplicativos que podem te ajudar muito.

3. Trocar dinheiro pela moeda local. Em toda a viagem você precisará levar uma quantia de dinheiro local. As ATM’s (Automated Teller Machine), o mesmo que os nossos caixas eletrônicos para saques, geralmente tem uma taxa ruim, então o ideal é levar dólar para trocar pela moeda que vai precisar em casas de câmbio que você pode pesquisar previamente. Normalmente as do aeroporto não tem boas taxas . O Real é muito difícil de trocar e geralmente quando você encontra um lugar que o faça, a taxa de câmbio nunca é favorável.

4. Levar remédios para o período todo que ficará fora. Por conta das leis de cada país, um remédio que no Brasil é comprado sem receita pode ser de uso controlado fora do território nacional. Portanto, leve com você a prescrição do seu médico caso seu remédio exija e leve a quantidade para o período inteiro. Acredito que ninguém quer ficar sem um remédio que precise durante uma viagem. E vai ser bem difícil conseguir em uma farmácia mesmo os remédios que no Brasil são vendidos sem receita.

Primeiros socorros para viagem

5. Vacinas. Alguns países solicitam dos brasileiros vacina contra a Febre Amarela. Mas, não adianta aquele comprovante de vacinação do postinho. Você precisa ter o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Confira como tirar o seu neste postVacinas – Vai Viajar? Veja o Passo a Passo a Seguir. A antecedência aqui deve ser de no mínimo 10 dias, mas eu recomendo uns 15 para garantir que você esteja bem caso tenha reação à vacina.

6. Sabia que no Brasil é possível solicitar o desligamento de serviços básicos UMA VEZ AO ANO, sem taxas extras por isso? Por isso, recomendo progamar o tempo de desligamento destes serviços com antecedencia, pelo período que ficará fora. Assim, você não paga por um serviço que não vai usar. Isso vale para a TV a cabo, internet e telefone também. Caso opte por não desligar, não esqueça de remover os plugs das tomadas. Além de economizar energia, evita danos em caso de pane elétrica e raios.

7. Esvaziar a geladeira e as lixeiras. Viajar é uma delícia, mas voltar para casa é sempre bom. A não ser que você tenha esquecido desta dica. Imagine chegar em casa com um cheiro horrível de lixo e ainda se surpreender com a comida que estragou na geladeira em caso de queda de energia ou coisa parecida? Melhor garantir, esvaziar tudo e deixar tudo desligado.

8. Pagamento das contas. Nunca é demais lembrar que as contas devem ser pagas com antecedência ou programadas em débito automático a fim de evitar surpresas  desagradáveis na volta, assim como pagamento de juros por atraso. Caso não possa deixar a conta em débito automático, não esqueça de pedir para alguém de confiança fazer os pagamentos.

9. Cópia dos documentos solicitados na imigração, como reserva do hotel, passagem aérea e seguro saúde. Isso vai garatir que seu passaporte e outros documentos originais estejam seguros no cofre do hotel. Com exceção da carteira de motorista, caso queira dirigir no exterior, que deverá ser a original.

10. Não esqueça de pedir àquele vizinho maneiro colocar água nas suas plantas e alimentar aves, peixinhos ou outros animaizinhos que você tiver. À essa altura eu espero que você já tenha providenciado um lugar para seu pet que não pode ser deixado sozinho.

raoul-droog-678059-unsplash

Se Sua Viagem é Para Morar Fora

1. A primeira coisa que eu aconselho se você vai morar fora é deixar uma procuração pública delegando amplos poderes para alguém em quem você realmente confie. Isso vai te ajudar a resolver problemas no Brasil por meio de um representante e não precisará voltar ao Brasil sempre que tiver algum assunto urgente para resolver.

2. Defina o lugar que vai morar com antecedência. Você economiza muito mais alugando um apartamento e pagando por mês, do que ficando no pior hostel da cidade pagando por dia. Sendo assim, minha recomendação é pesquisar o lugar, se informar sobre o bairro e a vizinhança e já fechar o contrato antes da viagem, tomando as medidas e garantias necessárias neste caso, é claro. Golpe existe em todo o globo, acredite em mim.

Home Sweet Home

3. Diferente de viagem de turismo, acredito que todos os países do globo exigem visto de residência. E como já falei lá em cima, a essa altura o visto já deverá estar estampado no seu passaporte. Portanto, se é visto de trabalho, de estudante, de investidor ou seja lá qual a modalidade que você está optando, recomendo tirar no Brasil diretamente na embaixada do país de destino. As coisas se complicam bastante quando você diz no momento da imigração que vai passear quando na verdade está indo para morar. Tenha em mente que os agentes fazem isso todo dia o tempo todo e sabem exatamente como te fazer cair em contradição. Leia mais sobre isso no post Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração.

4. Depois de você decidir que realmente vai ficar no país escolhido, tenha em mente de que a sua ambientação no país não será tão fácil como parece e qualquer situação pequena que aconteça vai fazer você pensar imediatamente em voltar para casa. Muita calma nessa hora. Se você chegou até esse ponto é porque já passou por muita coisa. Então siga em frente e não se desespere. Em algum momento as coisas vão melhorar. Leia esse post “Não Me Toque” que você vai entender melhor o que se passa na cabeça dos estrangeiros e assim conseguir lidar melhor com essa situação.

5. Pesquise sobre o destino. Leia tudo que puder e o que não puder sobre ele. Os hábitos, costumes, maneiras de agir. Tudo deve ser analisado para evitar situações embaraçosas ou até problemas maiores. As leis do país devem estar na ponta da língua. Afinal, você não vai querer quebrar nenhuma, certo?!

viajar faz bem

Eu sei que é muita coisa para pensar, mas com planejamento feito com certa antecedência as coisas fluem e acaba nem sendo tão difícil assim. Na minha primeira viagem longa em que passei 3 meses na Ásia, quase desisti.

Mas quando você foca, as coisas desenrolam e você percebe que todas estas questões são práticas e relativamente simples de serem executadas.

Sendo assim, desejo uma excelente viagem e muito sucesso em seu futuro, caso a mudança seja definitiva.

Vejo você no próximo post!

Bjokas.

KS.

Publicado em Dicas, Viagem

Países Que Precisamos ou Não de Visto

Países Que Precisamos ou Não de Visto

Quando o assunto é visto de entrada em outros países o Brasil está no topo da lista dos países que tem acesso garantido para turismo. São mais de 100 países que autorizam a entrada dos brasileiros sem a necessidade do visto.

Visto

Alguns detalhes precisam ser analisados com uma certa antecedência para que não encontre problemas no momento da viagem. Como, por exemplo, a validade do passaporte.

Cada país cobra uma data de validade do passaporte diferente. Alguns pedem que o passaporte tenha validade de 6 meses desde o início da viagem, outros desde o fim da viagem. Outros países cobram menos e outros mais.

Veja aqui o Passo a Passo de Como Tirar o Passaporte.

Esse pequeno detalhe já fez muita gente ser mandado de volta para o Brasil, portanto não incorra neste erro e confira a validade do passaporte. Em caso de seu documento estar prestes a vencer, solicite outro o quanto antes.

Já falei aqui a respeito do Acordo do MERCOSUL que permite que os países signatários circulem livremente pela região somente com o documento de identidade. Portanto, certifique-se de que esteja portando o Registro Geral (RG) com menos de 10 ANOS de emissão e com uma foto sua atualizada.

Eu ainda acho que a melhor maneira de deixar o país é sempre com o passaporte. Mas cada um decide o que é melhor e mais viável no momento.


Uma dica importante que cabe aqui para os brasileiros que pretendem viajar pela América Latina, é que se você viajar com seu passaporte e pegar o carimbo do respectivo país, isso vai te ajudar a tirar vistos mais complicados exigidos por outros países, como Canadá, EUA e Japão.


Então se você está planejando sua próxima viagem, escolha o país que quer conhecer e se joga!

Vistos para Viagens ao redor do mundo

Países Que NÃO Precisamos de Visto

Américas

  • Argentina
  • Bolívia
  • Chile
  • Colômbia
  • Equador
  • Guiana
  • Paraguai
  • Peru
  • Suriname
  • Uruguai
  • Venezuela
  • México
  • Antígua e Barbuda
  • Bahamas
  • Barbados
  • Belize
  • Costa Rica
  • Dominica
  • El Salvador
  • Granada
  • Guatemala
  • Haiti
  • Honduras
  • Jamaica
  • Nicarágua
  • Panamá
  • República Dominicana
  • Santa Lúcia
  • São Cristóvão e Névis
  • São Vicente e Granadinas
  • Trinidad e Tobago

Europa

  • Albânia
  • Bielorússia
  • Bósnia e Herzegovina
  • Bulgária
  • Croácia
  • Eslováquia
  • Hungria
  • Macedônia/FYROM
  • Montenegro
  • Polônia
  • República Tcheca
  • Romênia
  • Rússia
  • Sérvia
  • Ucrânia
  • Estônia
  • Letônia
  • Lituânia
  • Alemanha
  • Áustria
  • Liechtenstein
  • Suíça
  • Andorra
  • Chipre
  • Espanha
  • Geórgia
  • Grécia
  • Itália
  • Malta
  • Portugal
  • Turquia
  • Vaticano
  • Dinamarca
  • Finlândia
  • Islândia
  • Noruega
  • Suécia
  • Bélgica
  • Holanda
  • Luxemburgo
  • Reino Unido (180 dias)
  • França
  • Irlanda
  • Mônaco

Os países pertencentes a União Europeia e os signatários do Acordo de Schengen, dispensam os brasileiros de visto de turista por normalmente 90 dias. Com algumas exceções.

O Reino Unido, por exemplo, é o país europeu que mais tempo concede aos brasileiros para turistar. São 180 dias sem necessidade de visto. Lembrando que para cada 180 dias no país há a necessidade de deixar o país pelo mesmo prazo antes de poder retornar.

Ásia

  • Armênia
  • Cazaquistão
  • Cingapura
  • Coréia do Sul
  • Filipinas
  • Hong Kong
  • Indonésia
  • Israel
  • Macau
  • Malásia
  • Ilhas Maldivas
  • Mongólia
  • Palestina
  • Tailândia

Leia também: 10 Dicas Para Você Que Vai Viajar Para a Ásia

África

  • África do Sul
  • Botsuana
  • Marrocos
  • Namíbia
  • Ilhas Seychelles
  • Tunísia

Oceania

  • Ilhas Fiji
  • Micronésia
  • Nauru
  • Nova Zelândia
  • República do Palau
  • Samoa
  • Tonga
  • Tuvalu

Países que PRECISAMOS de Visto

Apesar do passaporte brasileiro ser considerado privilegiado por abranger tantos países sem a necessidade de visto, alguns países importantes como Estados Unidos, Canadá, e Japão, ainda exigem uma rigorosa entrevista para emissão do visto e ainda assim não há garantias de que entraremos no respectivo destino.

Por isso é necessário cumprir todas as condições de entrada e levar toda a documentação exigida para não correr NENHUM risco de voltar para casa antes de aproveitar as férias.

Leia também: Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração.

Alguns países exigem a forma eletrônica de emissão do visto e o trâmite normalmente é bem rápido. Foi o meu caso quando visitei o Myanmar. Outros países emitem o chamado “visa on arrival” que é o visto que te dão no momento em que você chega ao país, como é o caso do Camboja.

Fique de olho na lista de países que exigem visto e veja quais as exigências para cada um, pois dependendo do país o visto é na chegada, eletrônico ou ainda o presencial que vai demandar entrevista.

Os vistos via de regra são pagos. Alguns muito baratos e outros bem mais caros. Por isso, a necessidade de se programar com uma certa antecedência. E lembre-se: não compre as passagens antes de ter a entrada garantida.

O visto para o país que você deseja visitar deve ser sempre a primeira medida a ser tomada antes da viagem. Por isso, coloque ele na sua lista de prioridades e só depois de aprovado dê sequência aos demais planos.

Entrada aprovada

Se o país que você pretende visitar não está na lista acima, ele estará na lista abaixo e você deverá consultar o tipo de visto que ele requer.

Américas

  • Canadá
  • Cuba
  • Estados Unidos
  • Guiana Francesa

Europa

  • Moldova

Segundo o Itamaraty precisamos de visto, mas brasileiros que visitam o país alegam que não é necessário. Por via das dúvidas, mantenho o país na lista.

Ásia

  • Afeganistão
  • Arábia Saudita
  • Azerbaijão
  • Bangladesh
  • Bareine
  • Brunei
  • Butão
  • Camboja
  • Catar
  • China
  • Coréia do Norte
  • Iêmen
  • Índia
  • Irã
  • Iraque
  • Japão
  • Jordânia
  • Kuaite
  • Laos
  • Líbano
  • Myanmar/Birmânia
  • Nepal
  • Omã
  • Paquistão
  • Quirguistão
  • Síria
  • Sri Lanka
  • Tadjiquistão
  • Taiwan
  • Turcomenistão
  • Uzbequistão

África

  • Angola
  • Argélia
  • Benin
  • Burkina Faso
  • Burundi
  • Cabo Verde
  • Camarões
  • Chade
  • Comores
  • Congo, República Democrática (ex-Zaire)
  • Costa do Marfim
  • Djibuti
  • Egito
  • Eritréia
  • Etiópia
  • Gabão
  • Gâmbia
  • Gana
  • Guiné
  • Guiné-Bissau
  • Guiné-Equatorial
  • Lesoto
  • Libéria
  • Líbia
  • Madagascar
  • Malaui
  • Mali
  • Ilhas Maurício
  • Mauritânia
  • Moçambique
  • Níger
  • Nigéria
  • Quênia
  • República Centro Africana
  • Ruanda
  • São Tomé e Príncipe
  • Serra Leoa
  • Somália
  • Suazilândia
  • Sudão
  • Sudão do Sul
  • Tanzânia
  • Timor Leste
  • Togo
  • Uganda

Oceania

  • Austrália
  • Ilhas Cook
  • Ilhas Kiribati
  • Ilhas Marianas
  • Ilhas Marshall
  • Papua Nova Guiné
  • Ilhas Salomão
  • Vanuatu

Esses são os países que exigem visto dos brasileiros. A grande maioria requer somente o e-visa que é o visto eletrônico, normalmente emitido mediante ao envio de alguns documentos, preenchimento de um formulário e pagamento de uma taxa.

Outros já são mais complicados e além de exigirem vários documentos, a taxa costuma ser um pouco salgada, como é o caso do visto americano, velho conhecido dos brasileiros.

Ficou com dúvidas, deixe sua pergunta no comentário.

Até a próxima viagem!

Bjokas

KS.

Publicado em Curiosidades, Dicas

Viajando com a Síndrome do Pânico

Viajando com a Síndrome do Pânico

É indiscutível que muita coisa ainda precisa ser esclarecida e falada sobre o assunto em todas as esferas, mas hoje vou falar um pouco sobre a minha experiência em viajar sozinha lidando com a Síndrome do Pânico.

Quero deixar bem claro que esta é a minha experiência particular e o meu ponto de vista para enfrentar o problema. Cada pessoa que passa por essa situação vai descobrindo com o tempo como lidar com isso (ou não).

Síndrome do Pânico Viagem

Esse tema ainda é tabu e sofri bastante quando expus sobre ele quando ainda estava na faculdade. Aquela história que “de médico e louco todo mundo tem um pouco” cabe bem aqui.

Tive que tirar uma licença na faculdade para poder me cuidar já que morava sozinha em outro estado. A incompreensão por parte de alguns professores que achavam ser só uma frescura foi surpreendente.

A capacidade que as pessoas tem de julgar um tema sobre o qual não tem nenhum domínio, assim como questionar o laudo de um médico que estudou e lida com isso diariamente durante toda a sua carreira pode ser impressionante e, muitas vezes, impiedosa.

Apesar de tudo, com muito esforço e dedicação, consegui concluir a faculdade dentro do prazo mínimo e isso não impediu que me formasse com honras. Mas, poderia ter sido mais fácil se quem se prontificou a julgar tivesse procurado se informar com maior diligência sobre o tema.

Gostaria de deixar claro que desenvolvi a síndrome durante a faculdade e que sem nenhuma ajuda e conhecimento sobre ela, tive que me “virar nos trinta” para poder dar conta da avalanche de emoções e crises que vivi durante esse período.

A Síndrome do Pânico não é nenhum passeio no parque. Dar de frente com ela pode te esgotar de todas as formas possíveis. E como um belo clichê é sempre bem vindo, não desejaria isso nem para o meu pior inimigo.

Viagem x Crises

Pensa você lidar com uma síndrome, que leva esse nome por não haver nenhuma causa específica, portanto não é considerada uma doença. Isso acaba impedindo um diagnóstico preciso, o que leva cada caso a ser tratado de forma muito particular e de maneira temporária.

Isso acaba também tornando bem difícil saber como lidar com isso. Não é só remédio que resolve, você precisa descobrir outras formar de enfrentar o problema, o que pode ser ainda mais complicado quando você está sozinho.

Síndrome do Pânico

Me lembro de uma vez, indo para a Tailândia, comecei a ter uma crise já na porta do avião. Não está escrito na sua testa “síndrome do pânico em curso” e com uma fila de trocentas pessoas na sua frente se organizando para achar seus assentos, bateu o desespero para conseguir “segurar” o ataque.

Por opção, algo que realmente não recomendo, escolhi parar com a medicação de uso contínuo, que me deixava muito apática, já que minhas crises já não eram mais tão constantes e já sabia melhor lidar com os ataques.

Devido ao fato de os remédios serem altamente viciantes, o que me aterroriza até hoje, optei por ficar somente com os “remédios de emergência”. São pílulas para colocar em baixo da língua quando você pressente um ataque se instalando.

Com o tempo você vai aprendendo a identificar alguns gatilhos e a iminência de uma crise. Sendo assim, quanto antes você usar as pílulas, maior a possibilidade de você não estendê-la e conseguir se controlar.

É o que venho fazendo e tem funcionado. Lógico que algumas vezes quando você vê já está no olho do furacão, aí o jeito é esperar passar.

Se você enfrenta essa situação ou conhece alguém que está passando por isso, vou te contar como EU lido com isso e acredito que essas dicas podem ajudar VOCÊ A DESCOBRIR O QUE FUNCIONA MELHOR para você. Afinal, ninguém conhece a gente melhor do que a gente mesmo.

Técnicas Para Superar o Ataque de Pânico

Infelizmente não existe uma fórmula secreta ou um botão do pânico em que ao apertar a ajuda estará a caminho, ou ainda, que você pode simplesmente deletar com um toque. Quando o assunto é uma síndrome que os próprios médicos não conhecem a causa, tudo é um mistério a ser desvendado dia após dia.

Botão de Pânico

As técnicas que conto aqui são as que EU uso e que tem funcionado COMIGO. Não é nenhuma receita de bolo, que seguindo o passo a passo, você chega a um resultado similar. Você precisa descobrir o que funciona ou não para você. Aí, só testando!

Já avisados, podem conferir o que eu tenho feito para reagir aos ataques de pânico imediatamente quando vejo que algo está errado:

  • Assim que percebo que estou entrando em crise, minha primeira atitude é tomar minha pílula de emergência, já que cortei a medicação contínua e rapidamente vou para o próximo passo: a respiração.
  • A respiração ainda é um mistério. Alguns médicos dizem que você deve respirar profundamente, já outros dizem que isso é um erro que pode piorar o quadro e aconselham respirações curtas, mas não aceleradas. Esta última é a que funciona para mim e não chama a atenção de pessoas desconhecidas ao meu redor, o que tende a me deixar pior.
  • Procuro sempre me sentar ou, pelo menos, encontrar um lugar mais calmo e afastado da muvuca para me recuperar. Em último caso, vou ao banheiro. Mas, não recomendo entrar sozinho no reservado, caso a sua crise seja rapidamente escalada.
  • Me focar em um objeto próximo ajuda a me distrair dos efeitos que sinto sobre meu corpo. Por isso, penso em todos os detalhes dele, tipo, cor, textura, tamanho, cheiro e até sabor, independente de ser algo para comer ou não.
  • Especialmente dentro de aviões, se percebo que estou tendo uma crise mais grave, aviso um atendente de voo e normalmente eles ajudam a controlar o ataque. Sempre chame o que você achou mais amistoso. Um profissional sem tato pode piorar tudo. Se estou em público, procuro identificar alguém que possa me auxiliar e aviso que estou tendo um ataque de pânico e preciso de ajuda.
  • Sempre após os ataques tento pensar rapidamente sobre o que causou o gatilho. Assim que me dou conta, afasto o pensamento, porque às vezes se demorar muito nele, outro ataque pode ser desencadeado.
  • Quem sofre com a Síndrome do Pânico sabe que o medo de um ataque faz parte do seu cotidiano. Nesses momentos de maior aflição, tento me distrair com coisas que me fazem bem e pratico a meditação, que tem me ajudado muito a diminuir a incidência de novos ataques.

Síndrome do Pânico e Esportes Radicais

A primeira vez que fui mergulhar na Tailândia, tive que informar que tenho Síndrome do Pânico em um formulário. Isso levou a escola de mergulho a solicitar que eu consultasse um médico. Eu nem sabia que mergulho era um ESPORTE RADICAL.

Mergulho Dive

Uma das vezes em que fui ao meu médico e estava tendo uma crise muito forte, ele me aconselhou a parar com as corridas que fazia frequentemente e com qualquer atividade que demandasse muito esforço. Aquilo me fez mais mal do que bem, porque era uma coisa que amava e me deixava melhor.

Ele disse que ao acelerar meus batimentos poderia engatilhar um ataque. Fiz o que ele mandou. Novamente NÃO RECOMENDO desobedecer seu médico, mas tinha a consciência de que eu, melhor do que ninguém, sabia o que era bom ou não para mim.

Não queria deixar que essa síndrome me dominasse e me impedisse de viver e desfrutar de coisas que queria muito fazer. Tenho aprendido a conhecer meus limites e me policio para nunca ultrapassá-los.

Foi quando fui surpreendida com esse fato que aconteceu na ilha de Koh Tao, na Tailândia. Acho importante avisar aqueles que buscam aventuras mais radicais a prestarem muita atenção em si mesmos e nos sinais e respostas que seu corpo dá para você.

Quando exigiram que eu visse o tal médico, a primeira coisa que me perguntei foi: no que ver um médico antes de mergulhar ajudaria a controlar uma crise em curso? Acho impossível em vinte minutos um médico te diagnosticar e te dizer o que você já sabe há anos só para deixar a escola de mergulho com a consciência leve caso algo ocorra.

E é claro que eu teria que pagar a mais para ver esse tal médico. Os custos da consulta nem eram tão caros, mas achei tão absurdo tratarem uma síndrome como uma doença que você tem um causa clara e, por consequência, um tratamento mais específico e eficaz, que desisti em um primeiro momento.

Para mim, isso é mais um fruto da falta de informação sobre a Síndrome do Pânico, pois os instrutores sabem exatamente o que fazer em caso de QUALQUER tipo de problema nas profundezas: te levar para a superfície e buscar ajuda.

Dias depois, procurei outra escola de mergulho e finalmente consegui mergulhar com uma profissional da Argentina; Além de super competente e simpática, me deixou calma durante todo o tempo, o que resultou em uma aventura incrível e inesquecível.

Se Pânico

Acho que na “Era da Tecnologia”, já passou da hora das pessoas fingirem que sabem lidar com um problema que não entendem, por descargo de consciência, e procurarem se informar o máximo possível a respeito. Isso evita passar vergonha ou causar um dano ainda maior para quem já tem um abacaxi bem grande para descascar.

Mas, infelizmente, essa não é a realidade que tenho encontrado em todos os cantos para os quais viajo. Por isso, acho importante colocarmos as cartas na mesa, e mesmo contrariados, descobrirmos formas de dialogar sobre o assunto, a fim de buscarmos respostas coerentes e que realmente possam ajudar a todas as pessoas nessa condição.

E você? Conhece alguém que já passou por um caso parecido? Conta para a gente. O melhor remédio ainda é o CONHECIMENTO.

Bjo, bjo!

KS.

 

 

Publicado em Cultura, Dicas, Viagem

Viajante ou Turista? – Dicas Para Viajar Tranquilo

Viajante ou Turista? – Dicas Para Viajar Tranquilo

Hoje eu vou dar algumas dicas para você que vai viajar. Algumas delas servem sempre para absolutamente qualquer viagem, outras são mais específicas. Seja você um turista ou seja você um viajante, eu te garanto que se você tiver bom senso vai se sair muito bem e aproveitar ao máximo seu passeio.

Viajante

Qual a diferença entre viajante e turista?

O Turista

É o camarada ou a camarada que saiu de férias e está curtindo a viagem sem saber ao certo o rumo tomado. Ele não se informa sobre a cultura do destino e age como se estivesse no quintal de casa.

Sempre acha que a cultura alheia é inferior no que difere da dele e não está nem aí para as regras e normas dos outros.

O Viajante

O cara que é chamado de viajante é aquele cara que estuda o lugar para onde vai antes do início da viagem e quando chega ao destino sabe exatamente como se portar, se insere na cultura e não segue itinerários pré-estabelecidos.

Esse tipo de viajante respeita a cultura do outro e se adéqua as normas impostas pela sociedade local. Isto, segundo o dicionário dos super espertos, que acham lindo se colocar acima de qualquer ser humano que viaje para exatamente os mesmos lugares que ele.

Nenhum Dos Dois ou Ambos?

Não entendo o porquê os modismos necessitam de etiqueta. Colocam a tag em tudo o que veem pela frente. Entendo que na prática é mais fácil distinguir um do outro, mas sempre um tem que ser o super vilão e o outro o mocinho.

Na prática todo mundo que viaja é viajante, e também, turista. Então porque a etiqueta? Vamos deixar de frescura porque ninguém é melhor do que ninguém.

Isso não exime ninguém da obrigação de ser respeitoso com a cultura do lugar que pretende visitar.

Turista

Se você respeita as outras culturas e estuda sobre o lugar antes de ir, se você não faz coisas que não se encaixam no bom senso: parabéns, você não fez mais que a sua obrigação.

Se você não está nem aí para as os lugares para onde viaja,  escolhendo qualquer destino que esteja na moda, se não se interessa em saber sobre a cultura alheia e só quer saber de se divertir com o que o lugar tem para oferecer: bom para você.

O que não pode é haver desrespeito de nenhum tipo. Por isso, vou listar algumas coisas que você JAMAIS deve fazer quando for viajar para outro lugar. E essa dica serve até se você for viajar para uma cidade qualquer dentro do próprio Brasil.

Nosso país é uma terra de dimensões continentais e dentro dele temos as mais variadas culturas possíveis. Então, muita calma nessa hora.

O Pulo do Gato

O pulo do gato

Se você fez a tarefa de casa e estudou direitinho, vai saber exatamente como se comportar no país que está prestes a visitar. Mas alguns pontos recomendo prestar atenção.

Escrevi um post específico com 10 Dicas Para Você Que Vai Viajar Para a Ásia para você que está pensando em se aventurar por aquelas bandas.

Mas, algumas coisas você deve prestar atenção com mais afinco, pois, algumas vezes algo que para nós é óbvio, para o outro é exatamente o contrário.

Por favor, observe se existe alguma lei absurda no país que você nunca imaginaria ser crime ou coisa parecida. Alguns países punem mesmo os estrangeiros, sob alegação de que devem conhecer as leis do país já que decidiram visitá-lo, o que eu concordo absolutamente.

Se está pensando em viajar para Cingapura, por exemplo, você PRECISA ler este post que escrevi sobre as 10 leis que você não vai querer quebrar de jeito nenhum!

Uma dica que funciona sempre, é não mostrar ombros e joelhos em templos de qualquer religião. Melhor pecar pelo excesso. Você pode ser “convidado” a se retirar em alguns templos, caso não siga essa regra.

Tocar a cabeça de crianças em culturas orientais é extremamente desrespeitoso. Sabe aquela criancinha fofinha que você quer fazer um cafuné? Fique na vontade, nunca à vontade. Na verdade muita gente pelas bandas do Brasil não gosta também.

A questão é que alguns países (normalmente de maioria budista) consideram a cabeça a parte mais sagrada do corpo. Por isso, nunca toque a cabeça de ninguém. Se a cabeça é sagrada, os pés são a parte mais imunda. Daí a obrigatoriedade de retirar os sapatos na entrada de lugares sagrados, das casas e até de alguns comércios.

Na Europa isso é mais questão de higiene, assim como no Brasil em que algumas casas também tem esse hábito. Mas, geralmente, nós permitimos que visitantes entrem de sapatos. Em países orientais é ofensivo. No Japão até na escola você troca de sapato.

Então fique de olho na entrada se houver lugar para colocar os sapatos, ou se os anfitriões estão descalços. Não espere pedirem para tirar seus “sujinhos” sob pena de ter seus lindos sapatos arremessados para o além. 🙂

Claro que não farão isso (não sei). Mas, alguns são bem enfáticos e você não quer criar uma indisposição já na entrada.

Sapatos

Olhar diretamente nos olhos é ofensivo em alguns lugares, pode demostrar que você está desafiando a pessoa, assim como não olhar em outros lugares, pode significar falta de respeito ou que você não é confiável.

Outra coisa fundamentalmente importante para qualquer pessoa que esteja viajando. Principalmente se você está em um lugar histórico, um museu. Jamais toque em nada, ainda que não haja proteção.

No Museu do Louvre em Paris, a Monalisa fica dentro de uma caixa de vidro e com um cordão de isolamento por esse exato motivo. Gente que não controla a mãozinha nervosa e acha que tem que ver com a mão.

Monalisa

É permitido tocar em algumas obras para uma experiência mais sensorial. Mas, esses casos são devidamente informados. A mesma coisa acontece quando a obra permite que cegos toquem as artes.

Também não suba em estátuas para tirar fotos, por isso não é só falta de educação, mas você pode danificar uma obra que não está lá para seu uso particular. A posteridade agradeceria se pudesse ver a mesma coisa que você viu.

Algo óbvio que parece ser tão difícil para alguns mortais: jogar lixo em qualquer lugar que não seja o lugar exato em que ele deve ser descartado não é aceitável em nenhum cantinho do globo. Belezinha?!

Gente, foto dentro de museus, galerias tem que verificar a “disponibilidade”. Se for com flash está fora de questão. Em alguns lugares, como no “Vale dos Reis” no Egito, você pode ser forçado a pagar uma propina, porque não existe multas regulamentadas.

Mas, estamos falando de lugares sagrados. Em museus normalmente você vai ouvir algum funcionário te “lembrando” de que flashs não são permitidos.  Mas acredite, normalmente existem avisos bem visíveis informando sobre o que não pode.

Garanto que se você se atentar para esses detalhes e realmente dar uma rápida pesquisada na internet, você vai ter uma viagem bem mais agradável para você e para o anfitrião.

Em tempos onde os mecanismos de pesquisas acham de tudo, não tem desculpa, ok?!

Dicas Práticas Para Uma Viagem Fantástica

Gorgetas Tips

  • Alguns dias antes de viajar, durma um pouco mais cedo se o seu destino está a leste, e mais tarde, se se estiver a oeste.
  • Quando a viagem é mais longa e o lugar estiver dentro de um fuso muito diferente, peça um quarto com persianas tipo blackout, assim você pode controlar a hora que quer dormir e não sofrer tanto com o jet lag.
  • Não deixe para trocar para a moeda local somente no aeroporto de destino. Tenha algum dinheiro do país para pagar táxis ou outra emergência. Estude antes os lugares que trabalham com um câmbio melhor. Às vezes a diferença é grande.
  • Fique do  lado direito da escada rolante, da calçada, de onde houver tráfego de pessoas SEMPRE. A regra é a seguinte: se alguém estiver com mais pressa que você, vai te “ultrapassar”, como se fosse de carro mesmo. Portanto, nada de malas, bolsas e afins fechando a escada ou a passagem. Elas devem estar na mesma linha que você, logo à frente ou atrás.
  • Sempre que for reservar um hotel, procure pelos quartos mais afastados das ruas, dos elevadores, das portas de serviço ou de máquinas automáticas que vendem bebidas, snacks e cigarros. Isso vai garantir mais tranquilidade e silêncio durante sua estadia. Se não quiser silêncio, é só fazer o contrário. 🙂
  • Sempre leve a cópia do seu passaporte com você. Em caso de perda ou roubo, o original estará em segurança no seu quarto de hotel.
  • No caso de gorjetas, estude antes o país. Em alguns países, como no Japão, por exemplo, o ato é considerado extremamente ofensivo e em outros países é mandatório que você dê, sob o risco de tomar um “xingão”. Alguns países reservam uma caixinha escrita “tips“, então deixe sua gorjeta discretamente sem anunciar, porque isso pode ser desconfortável para eles.
  • Não esqueça os sinais na porta. Eles estão lá por um motivo. Algumas vezes é uma placa e as vezes é uma luz na parede do lado de fora da entrada. Deixe claro se quer que o quarto seja limpo, se quer a reposição de algum produto ou se não quer ser incomodado. Eu sempre uso a plaquinha de “Don’t disturb” e ligo para a recepção quando preciso de algo. Se tiver como, tranco a porta com corrente por dentro ou na chave normal também. Porque mesmo em hotéis 4 e 5 estrelas, já tive experiências ruins, principalmente na Ásia. Eles sabem ser bem invasivos.Estava eu lá enfrentando meu amado jet lag e as camareiras entravam no meu quarto sem pudores, mesmo com o aviso para não incomodar. Já me pegaram nua, dormindo ou tomando banho. Portanto, previna-se. Um aviso a mais na recepção de que não quer ser incomodado também pode ajudar.

Se você tiver alguma dica para enriquecer nosso conhecimento em como viajar melhor, deixe aqui nos comentários que eles serão muito bem vindos!

Até o próximo post!

KS.

 

 

Publicado em Cultura, Dicas, Viagem

Formas de Viajar

Formas de Viajar

Brasileiro é condicionado a sonhar com o estrangeiro. A máxima da grama do vizinho ser sempre mais verde entra com tudo quando a questão é outro continente. Mas por que não viajar somente na companhia de um bom livro?

Conheço pessoas que nunca tiraram os pés do Brasil, mas são os cérebros mais incríveis que conheço.

Desde criancinha, o primeiro sonho enfiado de qualquer jeito na cabeça das crianças brasileiras é de ir para a Disney, nos Estados Unidos de preferência.

Disneyland

Diz “a lenda” que se você realizar esse objetivo será um adulto feliz e pleno ao contar aos amiguinhos que conheceu o Mickey.

Depois você vai crescendo e para mostrar que é aventureiro e desprendido, o incentivo é fazer um mochilão pela América Latina. Afinal, você é ainda muito jovem e a grana ainda é curta.

Se conseguir fazer isso, sua mente será mais evoluída que a dos demais e assim, poderá chamar os outros de “sem-cultura”.

Mochilão 2

Mais para a frente, você já deve estar mais estabelecido e pensando em formar uma família.Então chegou a vez da Europa.

Sua lua de mel com certeza tem que ser em um destino europeu, como Paris ou outro país mais excêntrico, mas com todo o glamour para os casais apaixonados. Isso seria garantia de amor eterno e casamento feliz.

Se possível, depois de casar, ir morar na Europa. Isso mostra quão bem sucedido você foi depois de passar pela “Escola Fundamental da Disney”, “Escola Técnica Machu Picchu” direto rumo ao curso superior na “Universidade Torre Eiffel do Triunfo”.

Torre Eiffel Mapa

Poderia relatar aqui outros momentos da vida em que você está tentando encontrar você mesmo e seu Eu interior. Isso seria mais como um “PhD” e para este caso a receita é viajar para a “Lama Harvard School”, na Ásia. Lá você trará todas as explicações que esteve procurando a vida toda.

Garantia certa de que todos vão te respeitar e seu status de intelectual terá certamente mais de 10k seguidores só no Instagram, já no primeiro semestre após a conclusão de todos esses passos. Voilá! Eis aqui o “Doutor Sabidão das Viagens.

Busca sabedoria Asia

Doutor em Viagem

Agora você já pode dizer a porcaria que é o Brasil, pois você sabe tudo de todos os outros lugares do mundo, ainda que quando tenha ido à Paris, só tenha visitado a Torre Eiffel.

O Louvre é lindo, mas você só viu do lado de fora, afinal não é muito fã de museus e suas histórias. E se entrou, foi para tirar foto com a Vênus de Milo.

Sinto lhe informar, mas essa “linha da mediocridade” que um amigo sempre me falou, não é atingível por todas as pessoas. Linha da mediocridade porque é mais um padrão da sociedade, que impõe idade para a faculdade, casamento, filhos e netos.

Qualquer coisa fora disso prova que você não se adéqua a essa sociedade. Portanto, não pode ser considerada uma pessoa de “sucesso”.

Mas o que importa é que você foi para Paris mano! então está tudo certo.

Gente, viajar é sim maravilhoso. Foi uma das melhores coisas que aconteceram na minha vida. Mas, te garanto que o Arco do Triunfo não teria tanta graça se eu não soubesse a história por detrás desse monumento tão bonito.

A Torre Eiffel também não seria tão mágica sem a história. Tem gente que vai a Paris somente com o intuito de ver essas duas atrações, mas não sabe sobre o Obelisco Egípcio e nem da Estátua da Liberdade que fica bem perto da torre.

A história que liga todas essas maravilhas construídas pelas mãos humanas é fascinante. Por que não mergulhar fundo nela?!

E a França não é só Paris não, tem muita coisa surpreendente para se ver nesse país. Ah! Mas se eu não tirar a foto com a torre como vão saber que fui a França. Bom, se é esse o seu objetivo apenas, faça o que seu coração mandar. Mas o mundo é tão maior.

De repente se você decidir viajar para algum lugar e ler sobre ele antes, você vai ficar sabendo de lugares com histórias incríveis e sua visão vai se expandir.

Na verdade ninguém é obrigado a nada, se quiser ir só para tirar foto, ok. Mas, se você começar a aventura antes ela não precisa de prazo para terminar.

Não estou dizendo para você não ir à Paris e não tirar foto com a torre. Eu mesma tenho dúzias delas. A questão aqui é ampliar sua visão de mundo e abrir as fronteiras do óbvio.

E só a leitura vai te proporcionar isso. E de cara, te dar mais opções para escolher o lugar que será mais interessante para você conhecer.

Que Livros Ler?

Qualquer um que te faça querer continuar a leitura sem ser interrompido. Ninguém quer receber uma ligação de negócios na viagem dos sonhos. O mesmo acontece com um livro que te transporte para qualquer lugar. Comece viajando com seus livros e depois vá em frente.

Ler um livro é se transportar para um mundo completamente novo e cheio de imagens personalizadas que saem direto da sua cabeça. Quer coisa melhor? No livro o mocinho é exatamente como pintou na sua cabeça: seu príncipe encantado.

Seja loiro ou moreno, ele tem a altura que você acha mais atraente, as medidas, os trejeitos, a voz. Tudo isso, tirando todos os defeitos que um homem real teria certamente. Isto é, ele é perfeito.

Isso vale também para as mulheres. Elas tem exatamente as atitudes que os homens esperam delas. Em todos os setores da vida.

O mesmo ocorre com as paisagens. Elas sempre tem a beleza mais estonteante que seus olhos poderiam ver.

Leia livros que te faça mudar as atitudes, crescer enquanto pessoa. Ninguém sabe tudo e ler é uma oportunidade para aprender sobre nós e sobre os outros.

Leia esse post sobre 10 Livros Que Vão Mudar Sua Vida Em 2019

Livros para mudar a vida 2019

Você já conversou com alguém que sabe mais sobre um lugar em que você esteve mais do que você e no fim da conversa descobre que ela nunca esteve lá? Isso não quer dizer que ela não viajou, quer dizer apenas que ela não tirou os pés do chão.

Conte para nós o livro que está lendo agora. Tem alguma sugestão de livro já lido, compartilha aqui.

Até o próximo post!

KS.

 

Publicado em Dicas, Viagem

Aplicativos Úteis Na Sua Viagem

Aplicativos Úteis Na Sua Viagem

Gente, viajar é bom demais não é mesmo? Eu também acho. Vou te dar algumas dicas de aplicativos para que você tire o melhor da sua viagem.

Os aplicativos são listados dos menos para os mais usados, mas você deve imaginar que todos são muito usados em qualquer viagem. Note que alguns não estão disponíveis em todo o mundo, por isso sugiro alternativas.

Apps

Eles servem para outras funções também, no entando deixo as minhas observações de acordo com o item que acho mais relevante e funcional dos referidos aplicativos.

Todos os aplicativos que indico aqui são gratuitos e estão disponíveis para IOS e Android.

10° – HostelWorld/Trivago

Eu particularmente fiquei em hostel em congressos na faculdade e uma vez na Suíça. Já tentei ser desprendida assim, mas infelizmente não é para mim. Na faculdade a galera só queria festa e eu não estava naquelas cidades a turismo.

Eu queria dormir, porque em todos os congressos em que estive eu apresentei trabalhos, então queria estar bem para fazer uma boa apresentação. E como tenho o sono mais leve da vida qualquer barulho me acorda. Resultado: nunca dormia nada e sempre parecia um zumbi apresentando o circo do terror.

Passaram alguns congressos até que eu aprendi a escolher o lugar antes de viajar para não ser obrigada a ficar em hostels ou dormitórios nas universidades e não tive mais esses problemas.

Nada do que meu próprio quarto em um hotel. Não preciso de luxo, mas um quarto honesto, bem limpo e com o básico necessário já me deixa bem feliz.

Por isso o HostelWorld é para quem quer economizar na estadia e conseguir os melhores preços de hostels, não os melhores em si, mas você vai ter uma boa noção do que é melhor para você ou não e assim poder escolher melhor.

Por exemplo, esse hostel que fiquei na Suíça fica em um lugar incrível e fiz amigos muito bacanas nele. Alguns hostels no Brasil que fiquei na época da faculdade eram maravilhosos, com exceção da parte de dividir o quarto com uma galera.

Trivago

Em todos os continentes possíveis não há como fugir dessa propaganda. E todos os idiomas possíveis e sempre com um personagem diferente. Mas sempre terminando com a perguntinha: “Hotel? Trivago”! Já virou até meme.

O Trivago simplesmente pega o melhor preço do mesmo hotel. Ele te mostra o site que apresenta o preço mais baixo para você fazer sua reserva. Prático e simples assim.

9° – TripIt/Viator/Get Your Guide

O TripIt acessa seus e-mails coletando todas as informações de datas dos voos e hospedagem, criando um itinerário para você. Além disso, ele pode ser acessado offline, o que pode te ajudar a evitar muitos problemas caso não tenha acesso a internet.

O Viator te dá dicas sobre tudo o que fazer na sua viagem. Um excelente aplicativo para quem cai de paraquedas em um país estranho e te mostra as melhores opções sobre o que fazer no respectivo lugar.

Já com o Get Your Guide, que é mais famoso, você pode, além das sugestões, comprar os tickets. Isso evita que você tenha que ficar nas filas quilométricas, como é o caso de Roma, onde existem vários “níves” de valores que te darão acesso a algumas áreas específicas, como acontece no Coliseu.

8° – Airbnb

Se você gosta de um lugar mais intimista, mais “cara de casa”, o Airbnb é o seu aplicativo. Além de mostrar a foto, os valores normalmente são bem mais em conta que hotéis em geral.

Airbnb

Você também tem a opção de se hospedar com os anfitriões, que normalmente disponibilizam um ou mais quartos da sua propriedade. Assim, você terá uma experiência ainda mais real sobre o lugar em que está ficando.

Esses anfitriões, normalmente dão dicas e às vezes até embarcam em aventuras com seus hóspedes, levando-os para “turistar” pela cidade.

Mas, é sempre bom ficar de olho nas recomendações. Como em qualquer lugar do mundo, seus anfitriões podem não ser pessoas tão legais. Então minha dica é: sempre leia os comentários. Opinião é sim bem vinda nesse caso.

O plus é ter uma plataforma que se algo der errado pode te dar um suporte. No Airbnb você pode ter seu dinheiro de volta se alguma coisa der errado.

7°- Skyscanner/Swoodoo

Esses são aplicativos de busca de passagens aéreas. O Swoodoo você pode usar para buscar hotéis e carros, mas o meu foco nele são os voos. O Skyscanner faz literamente um scanner nos preços das passagens aéreas e mostra as melhores opções para você.

O Swoodoo também tem essa função. Escolha o melhor e garanta a economia nas passagens para poder gastar mais com outras coisas. 🙂

6°- Navmii/ Maps.me

Navmii é um aplicativo de navegação offline e online, o que para mim é a maior vantagem. Então você baixa o aplicativo referente ao país que você vai viajar e pode usá-lo também offline.

No Camboja ainda não possuia Navmii quando fui para lá no segundo semestre do ano passado. Por isso, tive que usar o Maps.me, o que foi bem tranquilo. Se o país não tiver use um outro aplicativo de navegação. Nem que seja o Google Maps. Acredite, se perder em um país estrangeiro, normalmente, não é boa ideia.

5°- Google Translate

Para mim o Google Translate é o mais básico e prático tradutor. Ele normalmente já vem nos telefones e isso facilita muito as coisas. Então quando você precisa de tradução para um idioma desconhecido esse aplicativo é o mais prático, apesar de achar que para cada idioma diferente existem aplicativos melhores.

Falo da praticidade do Google, porque ele reúne vários idiomas em um mesmo app que possui uma qualidade razoável para quem está na estrada. Sendo assim acho ele mais do que suficiente para fazer pedidos em restaurantes e consultar pequenas frases rapidamente.

Eu particularmente não uso muito tradutor. Quando vou para um país que não conheço a língua procuro aprender frases importantes e palavras usadas no dia a dia para facilitar a comunicação. Acredite, nem todo mundo fala inglês, mesmo em lugares muito turísticos.

Já passei por situações bem engraçadas, mas até hoje sobrevivi, vai saber!

4°- XE Currency/Transferwise

Se o assunto é dindin e sua viagem é internacional, você certamente vai precisar desses dois aplicativos. O XE Currency é um conversor de moedas e de quebra te diz se o câmbio é justo. Assim você tem melhor noção de quanto, de fato, está gastando. Parece simples, mas pode ser uma “mão na roda”.

Já o Tranferwise é para transferências de dinheiro para o exterior. De todas as formas de se fazer isso, este método se mostrou o mais prático por ser muito rápido e mais econômico, pois possui e melhor taxa.

Basicamente, o Tranferwise parece possuir agentes em diversos países que fazem a transação direto no país para o qual você vai fazer a transferência. Um e-mail é enviado no momento em que a transação é concluída.

No começo tive um pouco de receio, pois é muito simples o processo. O melhor é que você pode fazer o pagamento com o cartão de crédito, o que torna a operação mais segura. Já usei esse app várias vezes e não tive nenhum problema.

3°- Uber/Grab/99

Apesar de estar longe do ideal, para mim o Uber é ainda o aplicativo mais seguro e preciso quando o assunto é solicitar um carro ao invés dos táxis que via de regra são bem mais caros.

Não sei o que teria feito em Londres sem o Uber, que apesar de ainda sair bem caro quando convertemos de Reais para Libras, foi quase metade do valor dos táxis tradicionais por lá e me senti bem segura quanto aos motoristas.

Uber

Na Ásia, infelizmente o Uber não é permitido. Portanto minha opção foi o Grab, que é um protótipo de Uber com um GPS bem ruinzinho, fazendo com que praticamente todos os motoristas tivessem que ligar.

Esse simples fato de ligarem já era um problema porque eu pagava pela simples ligação ainda que não atendesse.  Por isso, eu me apressava para enviar uma mensagem para tentar facilitar o entendimento quanto ao ponto de encontro. Mas, normalmente nos encontrávamos uma ou duas quadras do lugar referido.

Se estou no Brasil, fico entre o Uber e o 99 e, às vezes, o segundo ganha nos preços, especialmente em feriados e dias em que o Uber cobra um valor bem acima do que o praticado normalmente.

2°- Booking.com/Hotels.com/Agoda

O Booking.com é o mais completo site de reservas na minha opinião. Você realmente encontra de tudo nele. Desde hostels até luxuosos hotéis. Em caso de problemas com o hotel e a gerência não resolver, normalmente o Booking resolve.

Booking

O ideal é combinar os dois: reclamar no hotel e no Booking. Noites grátis no próprio hotel ou em outros hotéis, bem como descontos não são incomuns. O Hotels.com segue a mesma linha, mas o Booking na minha opinião é mais eficiente quando o foco é acomodação.

O Agoda foi o aplicativo que eu mais usei para buscar hotéis na minha recente viagem à Ásia. Esse site tem nome esquisito e quando minha irmã me recomendou não levei muita fé, mas quando vi que o negócio podia funcionar resolvi usar.

Imagine minha surpresa quando no Agoda tive melhores resultados do que nos outros aplicativos quando o assunto foi Ásia.

1°- Trip Advisor

O Trip Advisor é o top 1 da nossa lista. Por quê? Porque é basicamente um buscador de tudo para a sua viagem e todas as áreas ele é bom.  Primeiro porque é um termômetro com as opiniões e resenhas de quem já esteve no respectivo, hotel, restaurante, atração turística, ou qualquer lugar que mereça a opinião do visitante seja ela boa ou ruim.

Trip Advisor

Isso vai ranquear os lugares que para conseguir avaliações positivas, são impulsionados a melhorar o serviço.

Além de você encontrar opiniões dos turistas e poder agendar passeios turísticos. Portanto minhas pesquisas sobre qualquer coisa relacionada ao meu destino, começa nesse aplicativo.

Ele é bem comum no mundo todo inclusive na Ásia. Até os pequenos locais exibem as suas plaquinhas recebidas do Trip Advisor com a quantidade de estrelas dadas pelos viajantes. Dessa forma eles podem fazer uma auto avaliação na prestação dos serviços e melhorarem conforme as opiniões.

Para fechar te digo que fui mudando de aplicativos ao longo do tempo e esses se tornaram os meus queridinhos, no entanto, você deve analisar o que serve melhor para as suas necessidades.

Você conhece algum aplicativo interessante para compartilhar com a gente? Conta aqui nos comentários.

Até a próxima viagem!

KS.

Publicado em Dicas

Vacinas – Vai Viajar? Veja o Passo a Passo a Seguir

Vacinas – Vai Viajar? Veja o Passo a Passo a Seguir

Para cada lugar que nós brasileiros decidimos viajar, uma série de observações devem ser seguidas a risca de acordo com o país. Uma das coisas que devemos atentar é para a vacina que precisamos tomar antes de viajar para nosso desejado destino. Vai viajar? Veja o passo a passo a seguir.

vacina 1

A vacina contra a Febre Amarela é a única exigida dos brasileiros. No entanto, alguns países recomendam outras vacinas. Sendo assim, é necessário verificar caso a caso.

Da primeira vez que fui à Tailândia cheguei por Bangkok. Lá não tive que passar pelo Controle Sanitário (Health Control) porque ia para Chiang Mai, norte da Tailândia. Quando cheguei lá fui uma das últimas a descer do avião e havia uma funcionária do aeroporto com uma enorme placa com meu nome escrito me esperando no fim da escada.

Assim que me aproximei ela me informou que eu deveria passar pelo Controle Sanitário, por ser brasileira. Enquanto quase todos os outros já se encontravam no ônibus que nos levaria até a porta de entrada do aeroporto, olhavam para mim como se eu tivesse cometido um crime horroroso.

Ok, se tem que fazer esse controle vamos fazer. Cheguei lá, mostrei meu passaporte, preenchi um formulário e a mulher da cabine nem se deu ao trabalho de perguntar se eu tinha o tal do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP). Afinal, o que importa são os 10 dias para a ação da Febre Amarela.

Se você não tiver a febre manifestada nesse prazo, fique tranquilo, eles também ficarão. Por isso, se você passou pela Europa antes e ficou mais de dez dias, provavelmente não vão te pedir o CIVP.

Eu tomei a vacina na Suíça, um dia antes de ir para Londres. Fiquei uma semana em Londres e embarquei para a Tailândia. Isto é, não tomei dez dias antes da viagem. Mas, como estava na Suíça antes, para eles era isso que importava, que eu não estava vindo do Brasil, que é uma região endêmica.

Vacina 2

Da segunda vez em Bangkok, que agora era meu destino final, ninguém me avisou de nada. Sem placas, sem estardalhaço. Mas, eu que não sou boba nem nada e já sabia como funcionava os balangandan, fui direto para o Controle Sanitário.

Se eu não tivesse passado eu seria barrada na imigração, pelo menos até voltar lá no controle e pegar um carimbo atestando que estava devidamente vacinada. Então não tem jeito, se o país que você vai exige a vacina contra a febre amarela, tenha em mente que você não vai entrar se não tiver tomado.

Ah, mas eu fui para outro país que exige a vacina e eles não me pediram nada. Eu também já fui. NENHUM outro país sequer solicitou o controle sanitário, quanto mais a CIVP, ainda que na lista de documentos houvesse a exigência para a entrada neles.

Mas, isso fica a critério deles. Às vezes o dia da sua viagem pode ser o dia em que o agente do aeroporto vai pedir. Eu citei a Tailândia, porque eles são realmente rigorosos com relação à entrada dos países que constam da lista da Organização Mundial da Saúde (OMS), como região endêmica da Febre Amarela, no país.

A questão é que você só precisa fazer isso se você veio do Brasil ou de um dos países na lista da OMS que possuem risco de transmissão da Febre Amarela. Nesta lista estão também outros países da América Latina, América Central e África Subsaariana.

Mas, se você vai viajar para o exterior, seja o país que for, verifique se o país-destino exige a CIVP. Pode ser que um país que não exigia o certificado antes, passe a exigir e (menos provável) o contrário também pode acontecer.

No meu caso eu tinha que fazer porque meu passaporte era brasileiro e não adiantava dizer que eu vim de Londres ou antes mesmo da Suíça. Afinal, eles precisam garantir isso checando seus carimbos.

Não reclame, só vá até lá, preencha o formulário e apresente seu passaporte. Se você fizer isso será rápido e indolor. 🙂

Para ficar mais claro, se você está indo viajar para um país que exige a vacina, mas seu destino imediatamente anterior era um país não endêmico, após checarem seu passaporte, você será liberado.

Pelo menos comigo sempre foi assim. Mas, se você vai para lá direto do Brasil, isso será mandatório. A não ser que você queira tomar a vacina lá e arriscar arruinar a sua viagem se tiver reação.

No site oficial do Itamaraty explica que você pode tomar lá mesmo no Aeroporto Internacional de Bangkok, o Suvarnabhumi, ou na Cruz Vermelha. O site não menciona outros aeroportos, então se você quer arriscar tomar só lá na Tailândia, certifique-se de que vai chegar pelo Suvarnabhumi ou que vai conseguir ir até a Cruz Vermelha.

Neste caso, provavelmente eles farão uma anotação requerendo a apresentação da vacina em algum prazo específico que deve ser bem curto.

Descobri isso só depois ou teria economizado o dinheiro da consulta na Suíça e a semana que perdi em Londres com a reação da vacina. Pior seria se tivesse tido a reação no calor da Tailândia. Melhor não reclamar! 🙂

Brincadeiras a parte eu prefiro garantir, não gosto de contar com possibilidades que estão fora do padrão. Vai que tem um desavisado por lá que não sabe que pode, não é mesmo?!

Para Quais Países Devo Ter a CIVP?

Mapa mundi

A lista de países que na teoria exigem o CIVP é imensa, ao todo 135 países exigem a vacina.

Confira abaixo quais países você terá que tomar a vacina se quiser se aventurar por eles.

  • Afeganistão
  • África do Sul
  • Albânia
  • Angola
  • Antígua e Barbuda
  • Antilhas Holandesas
  • Arábia Saudita
  • Argélia
  • Aruba
  • Austrália
  • Bahamas
  • Bahrein
  • Bangladesh
  • Barbados
  • Belize
  • Benim
  • Bolívia
  • Botswana
  • Brunei
  • Burkina Faso
  • Burundi
  • Butão
  • Cabo Verde
  • Camarões
  • Camboja
  • Cazaquistão
  • Chade
  • Chile (apenas Ilha de Páscoa)
  • China
  • Colômbia
  • Coreia do Norte
  • Costa do Marfim
  • Costa Rica
  • Cuba
  • Djibouti
  • Dominica
  • Egito
  • El Salvador
  • Equador
  • Eritreia
  • Etiópia
  • Fiji
  • Filipinas
  • Gabão
  • Gâmbia
  • Gana
  • Granada
  • Guadalupe
  • Guatemala
  • Guiana
  • Guiana Francesa
  • Guiné
  • Guiné Equatorial
  • Guiné-Bissau
  • Haiti
  • Honduras
  • Ilha do Natal
  • Ilha de Páscoa
  • Ilha Norfolk
  • Ilhas Salomão
  • Índia
  • Indonésia
  • Irã
  • Iraque
  • Jamaica
  • Jordânia
  • Kiribati
  • Laos
  • Lesoto
  • Libéria
  • Líbia
  • Lituânia
  • Madagáscar
  • Malásia
  • Malawi
  • Maldivas
  • Mali
  • Malta
  • Martinica
  • Maurícia
  • Mauritânia
  • Mayotte
  • Moçambique
  • Montserrat
  • Myanmar
  • Namíbia
  • Nauru
  • Nepal
  • Nicarágua
  • Níger
  • Nigéria
  • Niue
  • Nova Caledônia
  • Omã
  • Panamá
  • Paquistão
  • Paraguai (para pessoas provenientes dos estados: RJ, SP, ES e BA)
  • Pitcairn
  • Polinésia Francesa
  • Quênia
  • Quirguistão
  • República Centro-Africana
  • República Democrática do Congo
  • República Dominicana
  • República do Congo
  • Reunião
  • Ruanda
  • Samoa
  • Santa Helena
  • Santa Lúcia
  • São Bartolomeu, Ilha
  • São Cristóvão e Nevis
  • São Martinho, Ilha de
  • São Tomé e Príncipe
  • São Vicente e Granadinas
  • Senegal
  • Serra Leoa
  • Seychelles
  • Singapura
  • Somália
  • SriLanka
  • Suazilândia
  • Sudão
  • Suriname
  • Tailândia
  • Tanzânia
  • Timor-Leste
  • Togo
  • Trinidad e Tobago
  • Tristão da Cunha
  • Uganda
  • Venezuela
  • Vietname
  • Wallise Futuna
  • Zâmbia
  • Zimbabwe

O Que é a Temida Febre Amarela?

Antes de pensar em vacina e viagem, é bom saber que a Febre Amarela é uma doença viral transmitida pela picada dos mosquitos Aedes Aegypti, o mesmo que transmite a DENGUE e mais recentemente a febre CHICUNGUNHA e o vírus ZIKA no caso da Urbana e Haemagogus e Sabethsno caso da Silvestre.

Desde 1940 o Brasil não registra nenhum caso da Febre Amarela Urbana.

mosquito-febre amarela

Assim como a Dengue, a Febre Amarela não tem medidas eficazes contra o vírus, o que existe é tratamento para alívio dos sintomas que são: febre, calafrios, perda de apetite, náuseas, dores de cabeça e dores musculares, principalmente nas costas. Por isso, a maneira mais eficiente de combate a Febre Amarela é a vacinação.

Só para deixar bem claro, para você que se apavorou e resolveu que deve matar todos os inocentes MACACOS com medo de uma possível epidemia.

Saiba que eles também são VÍTIMAS da Febre Amarela. Eles NÃO transmitem a doença, além do mais, eles ajudam a alertar a população sobre a presença de mosquitos transmissore do vírus.

Portanto, vai limpar seu jardim cheio de foco dos mosquitos e deixa os coitadinhos dos macacos em paz!

Dose Padrão X Dose Fracionada

A Dose Fracionada é a que está sendo disponibilizada desde 25 de janeiro de 2017 em agluns estados para a população em geral. Essa dose deve ser renovada em 9 anos e não serve para fins de emissão do CIVP.

A Dose Padrão é a dose única que deve ser tomada para emissão do certificado. Crianças de 9 meses a 2 anos, gestantes e pessoas com condições clínicas especiais (com HIV/AIDS, após término de tratamento com quimioterapia, com doenças hematológicas) também só podem tomar a versão padrão da imunização.

Com relações aos IDOSOS, cada caso é um caso, por isso faz-se necessária avaliação médica individual para saber qual dose deve ser aplicada.

O Certificado Internacional Vacinação ou Profilaxia (CIVP)

Eu por garantia guardo sempre o meu certificado de vacinação com o passaporte. Assim não corro o risco de me embananar em nenhuma imigração também, caso peçam. Lembrando que eu não entrego a carteirinha se o agente não pediu. Se você fizer isso é capaz dele achar ruim. Então, em todo caso, espere ele/ela pedir para entregar.

CIVP.png

Leia outras dicas sobre a chegada em um outro país em Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração.

Mas, que cerificado/carteirinha é essa que a gente tanto fala? Bom, sabe aquela carteirinha que te dão no postinho para o seu controle de vacinas. Ela não serve para a viagem.

No entanto, é com ela que você vai solicitar na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a tal da carteirinha em questão que é o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP).

*Lembre-se: A Anvisa não realiza a vacinação ela só emite o CIVP.


Passo a passo:

  • Tomar a vacina – Você precisa primeiramente tomar a vacina, claro. No Brasil, a vacina está disponível nos postos de saúde do SUS.
  • Guarde o certificado – Ele é seu comprovante de que você está devidamente vacinado e será utilizado para apresentação futura.
  • Atente para os prazos – A vacina deve ser tomada com antecedência mínima de 10 dias antes da viagem.
  • Cadastro na Anvisa: Para qualquer um dos passos a seguir você precisará ter um documento pessoal oficial, uma conta de e-mail e o nome de um responsável, caso menor de idade.
    • Atendimento Presencial – Feito isso, agora é hora de realizar um pré-cadastro no site da Anvisa. Clique aqui para acessar a página e escolha a opção “cadastrar viajante”. Após o pré-cadastro se dirija a unidade credenciada da Anvisa mais próxima para emitir o certificado.
    • Atendimento pela internet – Você pode emitir o certificado online e imprimir você mesmo. Para isso, você deve se cadastrar no Portal do Governo Federal, Brasil Cidadão. Em seguida, siga as instruções e pronto.

Fique atento para os prazos: o prazo para a emissão da primeira via é de 5 dias e da segunda via de 7 dias.

Eu fiz a minha na Suíça, custou duzentos francos suíços e recebi na hora. O país conta com médicos específicos que fazem a vacina, já que na Suíça não existe sistema público de saúde como no Brasil, onde você pode tomar a vacina de graça.

Então, quando você for no posto tomar a vacina, que como eu disse antes, no Brasil ela é de graça pelo Sistema Único de Saúde (SUS), você precisa avisar que vai viajar para outro país e que tem que ser a dita CIVP.


IMPORTANTE: A Anvisa requer comprovante de viagem antes da vacinação para que receba a dose única.


A vantagem é que agora a Dose Padrão da vacina contra a febre amarela é vitalícia, ou seja, você só precisa tomar uma vez na vida e não mais de dez em dez anos como era antes.

Então, não esqueça: se tomou uma vez não precisa se preocupar em tomar novamente, mas guarde a carteirinha ou terá que solicitar a segunda via com antecedência.

O ideal é que você não espere pintar uma viagem para tomar a vacina. Previna-se e se antecipe. Nunca se sabe!

Gostou das dicas? Comente aqui sua experiência e se tiver alguma dúvida, fique à vontade para perguntar.

Até o próximo post!

KS.

 

 

 

Publicado em Dicas

Está Gripado e Vai Viajar de Avião? Veja os Cuidados Que Você Deve Tomar

Está Gripado e Vai Viajar de Avião? Veja os Cuidados Que Você Deve Tomar

E, depois de alguns anos sem pegar nenhuma gripe (a Dengue de 2015 não conta), uma rinite alérgica blockbuster me pegou de surpresa alguns dias antes de viajar. Então se você está gripado, resfriado ou com alguma alergia (do tipo rinite e sinusite) e vai viajar de avião, você deve tomar alguns cuidados para que essa viagem não se torne um pesadelo.

Para quem já atravessou o oceano antes, sabe que apesar das maravilhas que descobrimos no nosso destino, o momento do voo em si, não é dos mais agradáveis do mundo. Ninguém gosta de se sentir encaixotado por tanto tempo.

omar-prestwich-247121-unsplash

Mas, a pressão do ar, bem como a qualidade dele dentro do avião e a limpeza não são nada bons para o nosso organismo. Pena que minha última viagem transatlântica não tenha sido nada melhor.

Primeiro porque você (normalmente) se programa para esse tipo de viagem, compra a passagem com bastante antecedência. Nestes casos, você – que como eu não tem bola de cristal – não sabe qual será seu estado de saúde na data escolhida.

Exatamente onze dias antes da minha viagem eu comecei a ficar meio ruinzinha. Fazia bastante tempo que eu não adoecia, bastante tempo mesmo. Então achei que era só um resfriado e que ainda tinha muito tempo até a minha viagem. Pensei que, no máximo, em uma semana eu estaria nova em folha e pronta para apertar o cinto e encarar o voo rumo ao velho continente.

gus-ruballo-158651-unsplash

Para minha surpresa, comecei a piorar. Fazia inalação, tomava muita água, e também tomei um remédio para a garganta que estava inflamada. Só depois descobri que tive reação ao medicamento e que ele estava mais atrapalhando do que ajudando.

Por isso, recomendo fortemente que, ainda que seja um remédio fraquinho ou já velho conhecido, não se automedique. As consequências podem ser inesperadas.

Eu estava na maior correria para deixar tudo em ordem, que não tive tempo de pensar que ir ao médico para tratar uma “simples” rinite, poderia fazer tanta diferença na qualidade da minha viagem.

Leia também Checklist – Tudo Para a Sua Viagem.

Resultado: acordei no dia da viagem muito mal, mas mal mesmo. O estresse da viagem, acumulado todos esses dias, com todas as coisas que tinha para resolver, me trouxeram sintomas inesperados.

mulher doente

A essa altura, finalmente comecei a me preocupar se estaria bem para um voo tão desgastante com mais de dez horas de duração. Fora que antes ainda teria que pegar um avião de Curitiba até São Paulo.

No fim das contas, é sempre bom ter essas experiências. Pelo menos, posso contar para as pessoas e ajudá-las a não cometerem os mesmos erros. Lição dada e aprendida! Viagem é coisa séria, e de avião então, nem se fala. Pensa você falando para o piloto: – “Encosta aí que eu não tô bem”. Complicou um pouco, não é mesmo?!

Apesar de toda a minha experiência com aeronaves, nada te prepara para o que você ainda não viveu intensamente. E olha que viver uma crise alérgica severa não é novidade para mim: uma vez fui mordida em um casamento e ganhei duas pernas no dia seguinte.

Tive que tomar uma injeção de corticóide e tomar bastante cuidado, já que iria viajar também no outro dia. Minha sorte é que neste caso o voo era mais perto e a alergia foi cortada no momento da injeção e já comecei a sarar.

avião suíça

A Epopéia Alérgica

Infelizmente com uma rinite alérgica as coisas são mais devagar. E no meu caso que me automediquei, acabei arrumando mais sarna para me coçar e atrasei a minha recuperação.

Mas, o dia da viagem chegou e tinha que ir. A gente acaba com aquela desculpa de que não é nada e, afinal de contas, vai poder dormir a viagem inteira. Mal sabia eu que iniciaria uma epopéia alérgica.

Minhas pernas e os assentos dos aviões nunca foram muito amigos. Sempre brigam a viagem toda. E, quando você está doente parece que tudo passa a te incomodar mais. É quando o assento se torna um problemão daqueles.

Comprei minha passagem pela companhia internacional, que tem voos diretos porque eu estava querendo encurtar ao máximo meu voo, claro. Mas, a parceira dela no Brasil para o voo até São Paulo, é a Latam, uma companhia que normalmente não me agrada.

Depois que passaram a cobrar para despachar bagagem, achei mesmo que alguma coisa ia melhorar no atendimento ou iam oferecer alguma coisa a mais, além de água durante o voo doméstico.

Acontece que a Latam, resolveu que agora você é atendido por um totem. Não sei se isso é em todos os aeroportos, mas pelo menos no de Curitiba foi essa a informação que tive.

Você não pode falar com o atendente sobre o seu assento se não marcou antecipadamente. Tudo é gerado automaticamente, inclusive seu voo internacional. Isto é, aquela pessoa linda lá no antigo balcão de check-in só serve agora para pesar sua mala.

No máximo consertar algum erro da máquina. Pelo menos foi o que uma “pitbull”, que já é velha conhecida por prestar informações desencontradas nos meus check-ins, me disse na entrada da fila para os balcões usuais.

Em tempo de “humanizar” tudo, parece que a Latam resolveu retroceder e dar um atendimento padrão sem verificar os casos isolados. O que era bem o meu caso naquele momento.

Ocorre que normalmente em voos mais longos eu vou na janela para dormir. A desvantagem é que você tem duas pessoas do seu lado para acordar caso queira levantar para ir ao banheiro ou qualquer outra coisa.

Como eu estava gripada só tinha certeza de uma coisa. Queria poder estar livre caso tivesse que ir ao banheiro, lavar o rosto ou tomar um remédio. Então o assento do corredor seria o mais indicado dessa vez. Mas, é claro que alguma coisa tinha que dar errado.

Em outras épocas eu não iria nem achar ruim. Não sou muito de reclamar de poltrona. Mas, aquele era realmente um caso incomum. E eu precisava mesmo escolher um assento no corredor. Acho que a gente só sente mesmo quando é na nossa pele.

Bom, já que a Latam alegou não ter acesso ao sistema da Swissair, então precisei chegar em São Paulo antes de poder fazer alguma coisa. Já na Swissair até que tentaram me ajudar, mas era tarde demais, o voo estava com lotação máxima.

O jeito foi encarar a janela e pedir para levantarem caso eu precisasse passar. Ainda não gosto de acordar os outros, deve ser trauma. Mas, sempre acho que a pessoa vai gritar comigo.

O pior de tudo é que como eu estava com o nariz trancado, acabei descobrindo que terminaria com uma terrível dor de ouvido. Fiquei quase que completamente surda de um dos ouvidos e no momento em que escrevo este post (dois dias depois da viagem) ainda sinto muita dor de ouvido e de cabeça.

Isto, porque pessoas com as mucosas inflamadas, com secreção, são propensas a ter esse tipo de problema. Aí juntando doente aqui com as consequências que a mudança de pressão pode trazer, o resultado pode ser desastroso.

Na teoria seria como se a pressão que deveria ser equalizada, não conseguisse fluir por causa da barreira causada pela secreção que deixam as vias aéreas mais estreitas. Isto é, o ar de dentro dos ouvidos não consegue sair e o ar do ambiente não consegue entrar, o que causa pressão no ouvido tendo, às vezes, dor como consequência, o que foi o meu caso.

Juro que nem pensei nisso antes. Minha única preocupação era a de ficar tossindo e as pessoas por perto acharem ruim, ou de piorar, porque a gente sabe que esses aviões da vida são cheios de germes, ácaros, bactérias e sabe-se lá mais o quê. Mas, de tudo o que poderia acontecer, foram os meus ouvidos que me judiaram mais neste dia.

Como resultado, como já contei, tive a incomum surdez transitória causada pela “viagem” de parte da secreção retida nas vias aéreas superiores que migram para o ouvido durante o voo. Normalmente, essa secreção seca e drena para fora dos ouvidos. Já eu, ainda estou esperando isso acontecer. 🙂

virus da gripe

Pensem na cena, eu passando pelo controle de passaporte quase que completamente surda do ouvido direito e com muita dor, além da rinite. Se eu fosse o agente da imigração nunca ia me aceitar no país deles. Mas, esse agente ficou até com pena de mim. E nem quis me fazer muitas perguntas.

Leia mais sobre controle de passaporte no post Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração.

Viaje Melhor

Diante de todo esse perrengue que eu passei nessa viagem, resolvi dar umas dicas que podem te ajudar (caso você esteja na mesma situação que eu) a ter uma viagem melhor. Afinal, com saúde não se brinca.

O primeiro cuidado que você deve tomar, é garantir com o médico que você não tem nada mais grave do que uma gripe, resfriado ou alergia e que você só precisa se preocupar com isso.

Digo isso, porque em Curitiba estava tendo um surto de tuberculose e, neste caso, todo mundo no avião pode ficar doente. Tosses com mais de três semanas devem ser levadas a sério, e nesse caso, ir ao médico, é fundamental.

gripe

Já para a viagem é importante que você não esqueça alguns requisitos básicos.

  • Colírio Lubrificante – Se você usa lentes de contato e já voou de avião, sabe como o ar dentro dele é muito seco. Em casos mais raros a umidade relativa do ar pode chegar a 0%. Multiplique isso por horas e pense no resultado. Nada bom, não é?! Muitas pessoas já tiveram problemas sérios e bem dolorosos por conta da lente muito seca nos olhos. Então aquele colírio lubrificante para manter os olhos umedecidos é indispensável em uma viagem internacional.
  • Retire Lentes para Dormir – Se puder retirar as lentes para dormir, melhor. Eu, mesmo sem usar lentes, sinto sempre como se tivesse areia em meus olhos de tão ressecados que ficam. Geralmente leva uns dois dias para eu voltar ao normal.
  • Mastigue – Para aliviar os efeitos da mudança brusca de pressão, marcar chicletes é uma dica que me deram e que eu achava que era bobeira. Não é não! Assim como deglutir e tomar algum líquido, mastigar pode ajudar a melhorar os efeitos do voo, já que ajuda a desobstruir os canais auditivos.
  • Spray Nasal – Na sua passagem pelo médico já peça um spray para aliviar o desconforto no nariz e ouvidos durante o voo. Alguns sprays são bem fortes e tem contra indicações, portanto não compre sem a visita ao médico.
  • Beba Líquidos Quentes – Peça sempre chá para os comissários. Normalmente eles têm algum tipo e líquidos quentes vão ser muito bons para amenizar a tosse.
  • Se Alimente Bem – Ainda que não esteja com fome, faça todas as refeições. Aquele lance de deglutir deve ser praticado aqui. Acredite, isso pode fazer toda a diferença, além de te deixar mais forte para se recuperar mais rápido. Às vezes, quando estamos doentes ficamos sem fome e problemas como gripes, resfriados e mais a altitude, fazem a comida ficar insossa. Então, se prepare para comer algo bem sem graça. Insista!
  • Beba Muita Água – A dica de ouro mais básica e óbvia da vida: beba muita água para evitar a desidratação. O benefício é bem mais extenso  do que simplesmente hidratar. A tosse é aliviada, além do desconforto da pressão e por aí vai.
  • Roupas Confortáveis – Na hora de voar nada de saltos ou roupas desconfortáveis e apertadas. Isso não tem a ver só com o conforto. A possibilidade de trombose nas alturas aumenta absurdamente e você pode ter inchaço nas pernas também pela falta de movimentos. Você com gripe já tem problemas demais. Para não complicar, preze pelo conforto e pela saúde. Não tem como errar!

Essas dicas parecem simples, mas sua vida vai ficar bem mais complicada caso não siga toda elas. Ah! Leve também um creme para as mãos e para o rosto, além de algum hidratante para os lábios. Você vai me agradecer!

Se você sabe de alguma dica para ajudar em uma viagem mais confortável, compartilhe com a gente aqui nos comentários.

Até a próxima viagem!

KS.

 

Publicado em Dicas

Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração

Missão Aeroporto – Como Não Ser Barrado na Imigração

Seja de férias, negócios ou trabalho, todo mundo sabe que programar uma viagem para fora do seu domicílio e ainda mais para outro país não é tão simples assim. Toda a burocracia e regras que devemos enfrentar torna a viagem uma verdadeira missão para não ser barrado na imigração do aeroporto de destino.

Mas, se você tomar alguns cuidados antes de viajar para o exterior, garanto que sua “Missão Aeroporto” será muito mais fácil de cumprir, sua viagem será muito mais tranquila e divertida e você não vai ser um desavisado que vai ser mandado para casa.

carimbo passaporte

As pessoas sempre me perguntam como é a minha passagem nas imigrações de cada país. Se é fácil, se fico nervosa, o que perguntam para mim, quais os piores países para passar pela imigração e, principalmente, se eu já fui barrada.

Bom, para começar, eu preciso dizer que eu nunca fui parada na imigração de nenhum país, nunca tive nem a entrada e nem o visto negado, assim como nunca sofri qualquer punição na imigração, tipo, deportação, expulsão, multa por produto não declarado ou qualquer problema referente ao contexto viagem internacional.

Mas, tudo isso porque sou bem cuidadosa com o que tranporto e em como me visto nas viagens. Alguém mais displicente pode passar por situações bem complicadas, tudo por mero descuido.

Vale lembrar que viagens domésticas, apesar de também demandarem alguns cuidados, são muito mais simples do que quando você tem uma fronteira internacional no meio do caminho.

Mas, Kacau, ter cuidado com o que se transporta, ok. Mas, o que a roupa que eu estou vestindo tem a ver? Tudo. Já explico melhor.

Neste caso, estamos falando da soberania de um país, e independente da sua cultura ou do que você acha que tem ou não problema, cada agente de imigração é quem decide o que ele acha que cabe ou não em cada situação e quem ele acha que deve entrar ou não em seu país. Ali é ele quem manda.

agente imigração

Durante minhas viagens sempre procurei entender o porquê algumas pessoas se dão mal de cara na imigração. E analisei cada situação para nunca correr o risco de voltar para casa e desperdiçar tempo e dinheiro, além de muitas vezes, frustar um sonho de uma vida.

Neste caso, vamos focar em nós brasileiros. Sim, gente, muitas pessoas de outros países também sofrem com isso, até pessoas de países como os EUA, a Inglaterra e etc. Isso não é uma caça às bruxas aos brasileiros.

Infelizmente, o que prejudica o nosso país, é o fato de estar na lista do tráfico de drogas internacional. E, como consequência, nosso amado passaporte (que apesar de muito poderoso, por poder entrar em vários países sem visto) tem sim um estigma que faz acender a luz amarela em algumas fronteiras pelo mundo.

Estou falando de fronteira via terrestre e áerea. Isto é, seja de carro, de avião, de barco, de canoa ou charrete, não importa o meio de transporte, ao cruzá-la, você terá que apresentar seu passaporte.

A menos que você esteja em uma área não controlada, ou esteja pulando algum muro tentando entrar ilegalmente em um país, o que aí é uma outra história.

Missão Aeroporto Passaporte
Passaporte Brasileiro – Um Dos Mais Poderosos do Mundo

Ah! Mas, você pode alegar que meu passaporte já tem muitos carimbos e isso facilita o trânsito entre as fonteiras. Meu bem, isso não quer dizer exatamente nada! Quando estava lá eu na fila da imigração no aeroporto de Zurique na Suíça pela primeira vez, meu passaporte estava zerado. Isso vale para você que tem experiência em viagem, mas está com o passaporte novo.

Cada vez que você tira um passaporte novo, é como se fosse a sua primeira viagem, a não ser que dê algum problema com seus documentos e eles resolvam te investigar. Aí eles vão saber se já esteve no país antes ou não. Mas, para todos os efeitos, você é um viajante comum, até que dê motivos, e aí, se você tiver alguma coisinha errada vira uma bola de neve.

Você e o Agente de Imigração

Quando cheguei no guichê no aeroporto de Zurique na Suíça pela primeira vez, uma moça muito bonita e simpática olhou para mim e perguntou:

  • Qual o motivo da viagem?
  • Turismo.
  • Quantos dias vai ficar no país?
  • X dias (não me lembro, mas era tipo muito tempo)
  • Qual sua profissão?
  • Jornalista.
  • Bem-vinda à Comunidade Helvética (sim esse é o nome da Suíça)

Falo essa e mais outra curiosidades no post 20 Coisas Incríveis Sobre a Suíça.

E pronto! Foi assim minha experiência na fronteira Suíça e continua sendo. Nunca tive problemas para entrar no país e nunca me fizeram mais perguntas que essas.

Minha experiência na fronteira terrestre entre Suíça e França não foi muito diferente quando viajei de carro para Borgonha, até Dijon.

Para a Inglaterra foi mais curioso. Normalmente os agentes de fronteira me dão um sorriso após confirmarem meu passaporte. Londres tem a fama, juntamente com Madri, de ter um dos aeroportos mais restritos  de toda a Europa. Acredito que isso esteja mudando agora.

Honestamente, isso nunca me preocupou, mas, não custa tomar muito cuidado em alguns detalhes. Seja seu próprio agente, imagine o que não seria legal ou poderia te causar problemas. “O seguro morreu de velho!”

seja você seu próprio agente

Como fui para Londres direto da Suíça, não é considerado vôo internacional, ainda que Londres não faça parte do Espaço Schengen (vou falar sobre ele em outro post). Então no avião você não recebe o cartão de imigração. Mas, isso não o dispensa de apresentá-lo quando for passar pela imigração se não for cidadão inglês.

No trajeto até o guichê de imigração desses aeroportos quilométricos, você vai encontrar balcões com esses cartões para preenchimento. Leve o cartão preenchido pelo amor de Deus!!

Se não achar o balcão (que sempre está no caminho), pergunte para alguém. Se não fala inglês, faça mímica, pule corda, faça malabares, pirofagia, mas, não chegue no balcão de imigração sem esse cartão devidamente preenchido, e preenchido CERTO, Lord! Entendido?!

Tudo o que você fizer para facilitar a vida do agente nesse momento vai gerar nele uma empatia involuntária. Então entregue o passaporte aberto na página da sua foto junto com esse cartão de imigração.

Em seguida cumprimente o funcionário com um good morning ou good evening, vai depender da hora que chegar, é claro. Isso vai dar uma noção ao agente de que idioma irão proceder a conversa.

Se falar o idioma do país é ele que você vai usar. Se ele tiver que chamar um tradutor, isso vai ser mais demorado e complicado também. Para os dois lados, então falar o idioma vai ser um plus.

O trabalho dos agentes de imigração não é te mandar embora. Mas, se algo não estiver de acordo, eles vão te mandar dar meia volta sem dó nem piedade. Por quê? Porque esse é o trabalho deles, eles fazem isso todos os dias durante horas. São altamente treinados para saber se você quer dar um “nó” neles.

pesquisando sua vida

Se vai a turismo, vá a turismo. Se vai trabalhar, tenha visto de trabalho. Se vai pescar, tenha licença de pesca.

Se vai levar um animal, garanta que a documentação do bichinho esteja de acordo com as normas do país. Lembrando que cada país tem as suas próprias. Então, não adianta dar a desculpa de que em “tal” lugar era diferente.

Lembre-se da palavrinha mágica “soberania”. Cada país manda no seu território e tem suas próprias leis.

Não sabe quais são? Ligue para o aeroporto, embaixada, para o presidente da República, para o Imperador e até para o Papa. Mas, não vá sem ter certeza de que está tudo em ordem com a sua abençoada documentação.

Trajes para viagem

Gente fofa, querida e inteligente. Vocês já devem saber como se vestir para viajar. Minha dica é para aquelas pessoas, com o perdão das palavras, nem tão fofas, nem tão queridas e muito menos inteligentes, além de se acharem o último donuts da 7 eleven.

tim-gouw-227623-unsplash

Pessoa, pensa aqui comigo. O Brasil não é só famoso por causa do Neymar, do Ronaldinho, do Pelé, da Gisele Bündchen e assim vai. O que interessa nos aeroportos e fronteiras por aí, é a fama que inclui o Brasil na lista de Tráfico de Entorpecentes e na Prostituição! Ficou claro agora?

Então, se você moça linda, mesmo que tenha passaporte europeu por sua descendência, e está vindo do Brasil. Não use roupas curtas pelo amor do santo Deus, nada de saltão ou de barriga aparecendo!

Ah, mas eu sou mulher e uso o que quiser. Tá bom, mas, não reclama se te mandarem para casa. Lembra do lance da soberania? Eles não precisam explicar o motivo pelo qual não te querem no país deles.

Dia desses assisto uma youtuber que foi para Dublin se não me engano e teve problemas na imigração de lá. Gente, uma das fronteiras que mais amam brasileiros e são super amigáveis.

Pois, eles quase deportaram a dita cuja. E ela disse que não fazia ideia do porquê! Ainda enquanto fazia um vlog se vangloriava do cropped de alcinhas com o qual havia viajado e pasmem, bermudinha jeans.

Alguma coisa contra o look da it girl? De jeito nenhum, cada um se veste como quer. Mas, em uma imigração para QUALQUER país, isso acende luz amarela, vermelha, roxa e toda a paleta Robbins para um agente de imigração. Porque para ele, se a pessoa teve a pachorra de se vestir assim, o que para eles denota desrespeito, o que mais ela vai fazer em seu país?!

Então, acredite em mim quando eu digo que existe um código de conduta meio padrão na maioria dos países com respeito a vestimentas. Não custa tomar cuidado. Passou dali, arranca tudo se quiser, mas, respeite o agente de imigração. Ele pode ser seu melhor amigo ou seu pior pesadelo.

Bagagem e Comportamento

Esse é outra questão que pode acender luzes coloridas nos aeroportos da vida. Sempre lembre da sua bagagem corresponder à quantidade de dias que pretende ficar no país, e ao clima.

Bagagem.jpg

Ou seja, não adianta levar shortinho se está indo enfrentar a neve e nem casaco térmico para ir para a Tailândia, ok?!

Nos países da Ásia, a imigração é basicamente formada por militares. Todos de cara sisuda e te encarando, como se estivessem analisando se vão ou não te aceitar. Não fique nervoso e tente agir normalmente.

Eles querem muito você no país deles. Desde que você não seja suspeito de algo que poderia impedir a sua entrada, você já está dentro. Sorria e acene. Ou não. Fique normal. Não sorria e nem acene. Quanto mais camuflado você estiver, menos atenção vai chamar. Então, fique na sua!

pinguis de madagascar

Roupas muito grandes, mesmo aquelas estilo boyfriend, podem denotar que você está escondendo algo por baixo. Certamente eles vão pedir para retirar no raio X ou pior, podem desconfiar de algo e solicitarem uma revista mais específica.

Pode parecer exagero, mas, você vai esperar acontecer para saber como agir? Na dúvida, eu, pelo menos, não arrisco. Me informo o melhor que posso. E não deixo a falta de conhecimento ser minha inimiga.

Se seu vôo é doméstico tudo bem, até porque é mais fácil lidar e você conhece as leis e, principalmente, a cultura do seu próprio país. o que ajuda a medir a temperatura e assim poder usar o bom senso, que nesses casos, normalmente basta.

Mas vôo internacional, implica em muita coisa. O que faz muito sentido aqui no Brasil, pode não fazer sentido nenhum para o agente do lugar de destino. Então, se informe sempre e cuide muito dos pequenos detalhes que tenho certeza que você não vai ter problemas. Eu garanto!

Até o próximo post.

KS.

 

Publicado em Dicas

Passo a Passo de Como Tirar o Passaporte

Passo a Passo de Como Tirar o Passaporte

Como tirar o passaporte? Quanto custa? E quanto tempo demora para ficar pronto? Isso eu te respondo com um passo a passo bem detalhado, para facilitar sua vida e garantir a tranquilidade no planejamento daquela tão sonhada viagem de férias.

Mas sem o passaporte você não consegue transitar entre fronteiras, a menos que seu destino seja parte do MERCOSUL ou você esteja tentando pular algum muro por aí.

Se o Registro Geral (RG) é um documento de identificação válido em todo o território nacional, o passaporte é um documento que garante a sua identidade em qualquer lugar do mundo em que esteja, e a garantia – ou não – de entrada em outros territórios, bem como o regresso ao Brasil.

Mercosul

Antes de escolher o destino é melhor verificar se precisa ou não de passaporte para a sua viagem. Isso porque países que têm acordo com o MERCOSUL, não exigem passaporte para a entrada neles, o RG é suficiente.

Mas, algumas regras – que vou falar mais depois -, também se aplicam aqui. Basicamente, você deve manter seus documentos atualizados e em bom estado de conservação sempre. Fora desse espaço, o passaporte é mandatório.

Missão Aeroporto Destino

Calma, que para obter o passaporte brasileiro não é nenhum bicho de sete cabeças se você é um cidadão brasileiro. Portanto, além de listar aqui todos os passos necessários para solicitar o documento, vou listar o que pode te impedir de obtê-lo.

Primeiramente você precisa se certificar de que possui toda a documentação necessária para fazer essa solicitação. Cada modalidade de passaporte vai exigir uma documentação específica.

Existem quatro tipos básicos de passaporte. O Comum (para brasileiros), o de emergência, o para estrangeiros, isto é, para não-brasileiros e o Laissez-Passer, que é um documento concedido ao viajante estrangeiro de um país que não mantêm relação diplomática com o Brasil.

Como estamos falando sobre brasileiros vamos focar nos passaportes comum e de emergência, que é específico para cidadãos brasileiros.

Passaporte Comum

A documentação necessária para solicitar o passaporte comum não é muito extensa, mas é bem específica. Porém, para dar entrada no passaporte é necessário primeiramente verificar se você preenche todos os requisitos para tal solicitação.

Alguns requisitos, além de ser brasileiro, são: estar quite com as obrigações eleitorais, que serão consultadas pelo atendente no ato da solicitação; estar quite também com as obrigações militares (no caso dos homens entre 18 e 45 anos de idade); não ser procurado pela polícia e também não ser impedido pela justiça de deixar o país.

Lembrando que o menor de 18 anos tem uma lista própria para obtenção do passaporte.

É muito importante deixar claro que se algum documento solicitado estiver rasurado ou, por algum motivo, não puder identificar o requerente, ele NÃO será aceito pelo atendente.

Portanto, garanta que o seu RG ou Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estejam em bom estado e que a foto seja correspondente com sua aparência atual, bem como as demais certidões e documentos solicitados.

Não adianta aparecer loiríssima e linda, se em seu documento seus cabelos eram castanhos. Ou também, apresentar aquela identidade que você tem desde criancinha e que a assinatura é nada menos que seu polegar.

Após certificar-se de qual categoria se enquadra, o solicitante precisa preencher o formulário diretamente no site da Polícia Federal. Uma Guia de Recolhimento da União (GRU) será gerada.

Somente após o pagamento da taxa de R$ 257,25 e da sua devida compensação bancária, é que o site abrirá a opção para que você realize o agendamento eletrônico e assim, possa apresentar os documentos pessoalmente, tirar a foto e coletar as impressões digitais.

Passaporte Digital

Após todo o processo de requerimento finalizado, agora é só aguardar a confecção, que demora em média 6 dias úteis. Mas, é bom acompanhar pelo site para garantir que esteja pronto quando for buscar e assim, não perder a viagem.

E não adianta a mamãe, papai ou o responsável ir buscar o passaporte dos filhos menores sem a presença deles. Os filhos terão que comparecer junto dos pais ou responsáveis também. E preste bem atenção: só o titular retira passaporte, nem procuração pública conferindo amplos poderes resolve neste caso.

Uma observação importante é que se você não buscar seu passaporte 90 dias após confeccionado, ele será cancelado e você deverá reiniciar o processo todo novamente, inclusive com o pagamento da taxa.

Validade do passaporte comum de acordo com a idade:

IDADE VALIDADE 
0 a 1 ano incompleto 1 ano
1 ano completo a 2 anos incompletos 2 anos
2 anos completos a 3 anos incompletos 3 anos
3 anos completos a 4 anos incompletos 4 anos
4 anos completos a 18 anos incompletos 5 anos
18 anos completos ou mais 10 anos

Passaporte de Emergência

Como o nome já diz, esse passaporte é emitido em casos emergenciais. Portanto, é importante deixar claro que viagens de turismo não se enquadram nessa categoria. Para solicitar esse passaporte tem, que haver, necessariamente, o fator IMPREVISTO.

De acordo com o site da Polícia Federal, órgão responsável pela emissão de todos os passaportes no Brasil, as situações consideradas de emergência são:

  • Catástrofes naturais;
  • Conflitos armados;
  • Necessidade de viagem imediata por motivo de saúde do requerente, do seu cônjuge ou parente até segundo grau;
  • Para a proteção do seu patrimônio (o que NÃO inclui o mero prejuízo com passagens, hospedagem etc);
  • Por necessidade do trabalho;
  • Por motivo de ajuda humanitária;
  • Interesse da Administração Pública;
  • Ou outra situação emergencial QUE NÃO SE PODERIA PREVER, cujo adiamento da viagem possa acarretar grave transtorno ao requerente;

Lembrando que todos esses casos devem ser comprovados com documentos que serão submetidos à análise do atendente.

Após garantir que se enquadra na categoria emergencial, você deve preencher o formulário de solicitação de passaporte. Lembre-se de anotar o protocolo.

Munido dos mesmos documentos solicitados para a emissão do passaporte comum, mais os documentos que comprovem a emergência e o protocolo, você deve dirigir-se ao posto da Polícia Federal mais próximo.

Não há a necessidade de agendamento. Porém, é importante se certificar de que a unidade que você pretende ir fornece o serviço, pois nem todos os postos estão equipados para emitirem o documento.

Após o atendente avaliar a sua situação e comprovar a emergência, ele lhe entregará uma GRU para pagamento. O passaporte de emergência é mais caro e você terá que despender R$ 334,42 para obter o documento. Se submetendo então ao mesmo procedimento de coleta de digitais e fotografia, o prazo para confecção do documento é de 24 horas úteis.

A entrega também está sujeita as mesmas regras do passaporte comum.

A validade desse passaporte é de apenas UM ANO e alguns países ainda, podem não aceitá-lo, mesmo nesses casos emergenciais. Por isso, é bom conferir as leis do país destino também.

Agora que já está tudo certo e o passaporte está na mão, é só escolher o lugar, se aventurar mundo afora e garantir aquele tão sonhado carimbo.

Missão Aeroporto Carimbo passaporte

Se ainda tiver alguma dúvida, comenta aqui, se eu souber, com certeza te respondo.

Até o próximo post!

KS.