Publicado em Cultura, Curiosidades, Viagem

Você Sabe o que é Cidadania?

Você Sabe o que é Cidadania?

Capacidade crítica sempre será uma coisa boa. Mas, talvez o senso do seu vizinho seja mais apurado que o seu, ou esteja cem anos luz atrasado. Quem está certo e quem está errado? Ninguém. Todos tem os mesmos direitos e deveres, portanto merecem ser respeitados. O nome disso é CIDADANIA.

Cidadania

Não existe possibilidade de escolher a quem respeitar, ainda que você não concorde. Você também não tem obrigação em relação à decisões alheias. No entanto, o respeito é devido em qualquer área da vida.

Seja na área profissional, respeitando os seus chefes e os seus subordinados. Seja na religião, respeitando os líderes, os fiéis ou a fé alheia. Ou mesmo na falta de uma religião, respeitando o fato de que não acreditar em nada já é uma crença por si só.

Seja nos restaurantes, tratando a pessoa que vai te servir com a maior cortesia possível. Afinal, ela está em posse da sua refeição e pode fazer o que quiser com ela. Mas, ainda se não pudesse, o respeito é devido de qualquer forma. Entende?

Gente, vocês devem estar se perguntando porque estou falando isso. Não tenho a intenção de dar lição de moral em ninguém. Até porque eu mesma cometo erros diariamente. Ainda mais vivendo em um país completamente diferente do Brasil.

Aqui na Europa, você descobre finalmente a cidadania. Segundo o site Wikipédia, cidadania é a prática dos DIREITOS e DEVERES de um(a) indivíduo (pessoa) em um ESTADO. Os direitos e deveres de um cidadão devem andar sempre juntos, uma vez que o direito de um cidadão implica necessariamente numa obrigação de outro cidadão.

O mesmo para todos

Portanto, fica fácil entender porque nós brasileiros temos a dificuldade de exercer a cidadania em nosso próprio país, já que não temos os direitos garantidos na prática e ficamos com uma carga enorme de deveres.

Apesar de esbarrar na política, meu objetivo com esse post não é esse. Mas sim, mostrar como seguir as normas e cumprir com seus deveres como cidadão, pode trazer benefícios visíveis em sociedades onde a EDUCAÇÃO é um dos principais pilares.

Desligar o telefone no cinema, por exemplo: gente não é só o barulho do telefone que incomoda, ler mensagens e acender aquela luz na cara dos coleguinhas toda hora, também não é nada legal.

Atravessar na faixa e sempre esperar o sinal abrir para você seguir seu caminho lindo, leve, solto e VIVO. Sempre fico impressionada quando visito países que levam isso a sério.

Aqui na Suíça e em Cingapura vi isso claramente. Ainda que não venha nenhum carro lá no horizonte, todos esperam até o homenzinho verde acender para cruzar a faixa. Isso quando tem semáforo.

Normalmente o pedestre se dirige a faixa e atravessa sem se preocupar já que tem certeza de que o carro vai parar e esperar ele passar.

O contrário acontece muito no Brasil e em outros países mais pobres da Ásia, onde o trânsito é uma loucura e atravessar a rua, uma aventura.

Tudo bem que na Inglaterra também tive esse “probleminha”, já que com os sentidos invertidos, tinha que prestar muita atenção para que lado olhar e só depois atravessar em segurança. 🙂

Sempre aprendendo

Esses deveres e uma porção de outras coisas que uma boa dose de bom senso é capaz de dar conta, trazem enormes benefícios para a sociedade e o cidadão tem retorno de forma imediata.

Como é bom ver as coisas funcionando em seu favor. Um exemplo disso na Suíça são as estradas. Os impostos aqui são definitivamente carérrimos, mas eu nunca vi um buraco nas estradas por aqui. São verdadeiros tapetes e se aparecer um buraco e causar dano ao seu carro, o Estado te indeniza.

As multas para quem cruza a faixa contínua na Suíça, podem custar caro e até a sua licença para dirigir por um longo tempo. E, apesar de SIM, terem pessoas que quebram as normas, a comparação seria absurda em relação ao Brasil e outros países chamados de “terceiro mundo”.

No bairro aonde moro em Zurique, você paga até para descartar o lixo que acumula. Você tem a opção de não pagar, mas tem que ir bem mais longe e algumas vezes fica inviável.

Da última vez meu descarte custou CHF 0,28 centavos. Você pode pagar com o cartão de crédito e depois de aceitar seu pagamento a lixeira abre, acredita nisso?

Os supermercados são obrigados a recolher garrafas PET e copos plásticos em geral. Vidro na Suíça se separa por cores: verdes, marrons e transparentes. Papel e papelão são descartados em dias e locais diferentes. Percebe aonde entra o dever do cidadão?

Tudo parece muito complicado e dispendioso. Mas, com todo o retorno que temos aqui, você liga a cidadania no automático e tudo fica mais fácil. Tanto para o outro quanto para mim.

Justiça Social

Justiça

Quando você vê a cidadania acontecendo, as diferenças entre as pessoas ficam muito menores. E não estou falando da extinção do preconceito ou afins, porque isso existe e muito aqui na Europa em geral.

Estou falando da desigualdade social, mas em seu sentido mais amplo. Não me refiro ao lugar em que nos encontramos na pirâmide social no sentido financeiro. Mas, enquanto membro de uma sociedade e o quanto o Estado colabora para dar o mesmo tratamento a todos os cidadãos.

Digo que o tratamento justo é ofertado a todos de forma homogênea. As condições são pensadas justamente com base nas diferenças. E digo isso maravilhada mesmo, quando vejo a quantidade de pessoas com deficiências que circulam pelas ruas o tempo todo sem nenhuma dificuldade.

Mulheres com carrinhos de bebê por todo canto. Idosos indo ao supermercado e pegando ônibus, metrô. E quando digo idosos, me refiro a pessoas de 80, 90 anos. Até os cachorros aqui tem acesso livre aos metrôs e ônibus. E se bobear se comportam melhor que muitos humanos por aí.

Mas, para isso você paga imposto para ter um animal e deverá ir a um curso para ensinar seu cão a se comportar. O resultado é que você não vê cães abandonados nas ruas. Ter animal de estimação aqui é coisa séria.

Leia mais curiosidades no post 20 Coisas Incríveis Sobre a Suíça.

Salão de beleza aqui é para quem pode. E na verdade a maioria esmagadora pode, só que alguns têm prioridades diferentes. É muito caro fazer as unhas aqui, por exemplo. Porque a manicure é bem paga pelo trabalho que oferece. E a diferença salarial entre homens e mulheres é inexistente.

Homem igual a mulher

As diferenças salariais aqui são muito menores que no Brasil e não existe “supersalários” para políticos. Tanto a manicure, quanto o vendedor da loja, o jornalista e o médico, tiveram que fazer escola para exercer sua profissão.

Em um país em que a maioria pode comprar uma BMW, mas preferem usar a bicicleta, a palavra cidadania ganha significados mais amplos. A consciência da sua obrigação, você aprende desde o jardim de infância e fica mais fácil entender seu papel na sociedade.

Percebo aqui que a pressão sobre qual profissão seguir é menor, já que isso não definirá se você será muito rico ou muito pobre.

Isso significa que acho horrível morar no Brasil? Sinceramente? A resposta é NÃO. Eu amo meu país, especialmente minha cidade natal, Curitiba. Mas, pelo menos por enquanto, estou meio mimada com a palavra CIDADANIA. Quem não estaria?

E você? O que acha de praticarmos a cidadania desde as pequenas coisas. Nós somos fator determinante na transformação do espaço em que vivemos.

Luta e liberdade

 

Se cada um fizer um pouquinho, no final das contas temos um montão. É aquela velha máxima de que “uma andorinha só não faz verão”!

Até o próximo post!

Bjokas

KS.