Publicado em Cultura, Viagem

Morar Fora é Bom?

Morar Fora é Bom?

Muita gente tem o sonho de morar fora, acha que tudo vai ser a maravilha que viu nos filmes e que a vida será de cinema. Não digo que não é bom, mas o mar de rosas pode se tornar um lago bem gelado.

Eu planejava morar em outro país quando fosse um pouco mais velha, mas aconteceu antes do esperado. Acho que isso te muda como pessoa, te torna melhor, mas toda mudança exige um certo empenho.

Você vai precisar abrir mão de muitas coisas que aprendeu e praticou a vida inteira. Em alguns momentos o estranhamento será tão intenso, que a vontade de voltar para casa vai ficar te rodeando durante longos períodos.

Morar fora preconceito

Quando o assunto é se adaptar a outro país existem choques que você tem que enfrentar. Alguns você vai tirar de letra, outros nem tanto. Se você tem alguém para te guiar com paciência tudo será mais fácil, mas se não tem, acredito que será bem mais sofrido.

Em primeiro lugar quero lembrar que essa é a MINHA experiência morando fora. E que pode ser completamente diferente com você. Quero lembrar também que passar uma temporada fora do país nada tem a ver com se estabelecer de fato em outras terras.

Já morei em outro estado quando cursava a faculdade de Jornalismo, e apesar de sofrer com vários problemas de choque cultural na região onde me estabeleci por quatro anos e meio.

Ainda assim, lá não tive que abrir mão do meu idioma, da minha maneira de agir, apesar de também ser julgada por isso e muitas outras coisas. No fim das contas, as férias eram meus melhores dias.

Quando você realmente mora fora, as férias continuam sendo maravilhosas, mas aí vem outros problemas como vou contar mais adiante: o não pertencimento.

Como você pode ser afetado

Morar fora comportamento

  • Descobrir como separar o lixo e como descartá-lo no lugar certo pode ser um desafio e tanto. Papel, papelão vidro (separado por cores), e orgânico podem ter dias e lugares diferentes de descarte. E, muitas vezes, você passa por isso.
  • Saber como lidar com as pessoas é um dilema. Às vezes você acha que está fazendo tudo certo, mas na verdade está tudo errado.
  • Limpar a casa na Europa e EUA é completamente diferente da forma que fazemos no Brasil. Nesses lugares água é a última coisa que você vai precisar.
  • Você não vai encontrar facilmente nos supermercados as mesmas coisas que estamos acostumados a ter no Brasil. Desde comidas, até produtos de limpeza e higiene pessoal.
  • O mesmo acontece nos restaurantes. Pode ser que você ame o que eles servem, pode ser que você odeie.
  • Apesar de eventualmente você se acostumar com a paisagem, com a arquitetura e com o modo de vida, sempre algo vai te saltar os olhos e te surpreender.
  • Coisas que você achava que ia amar, você vai descobrir que não é tão bom assim. Afinal, nem tudo são só flores.
  • A solidão vai bater pesado, mesmo que esteja rodeado de pessoas. E vai ser difícil descobrir em quem confiar ou quem só quer te taxar de “gringo” ou “estrangeiro”. Experimenta não dançar como a banda toca para você ver.
  • Você provavelmente vai ter dificuldades de se sentir em casa, mesmo que volte para o seu país. Você vai ter sempre a sensação de que algo está faltando, do não pertencimento.
  • Os brasileiros que moram fora, também vão estar mudados, então se você não tiver a sorte que eu tive de encontrar “bons brasileiros”, você vai acabar se isolando deles por completo. E tem outra, se você decidir se relacionar somente com a comunidade brasileira do país em que vive, você não vai evoluir e provavelmente retornará para o Brasil mais cedo do que imagina.
  • Você vai sofrer preconceito mesmo que não perceba. Até provar o seu valor, você é só mais um estrangeiro tentando tirar o lugar de um nativo. Isto é, um estranho no ninho. O jeito é entender que você é o “patinho feio” agora, mas em breve você será Cisne, pense nisso.

Esses foram somente alguns pontos que me recordei, mas no dia a dia muita coisa pode aparecer.

Morar fora Cisne

Eu tenho batido muito nesse ponto, porque, especialmente nós brasileiros, temos o hábito de romantizar tudo. E, muitas vezes, isso pode fazer a gente cair em uma cilada violenta.

Então se você sonha em morar fora, planeje tudo com muito cuidado, leia muito a respeito, se prepare financeiramente e psicologicamente, pesquise sobre o lugar, as curiosidades, as particularidades da cultura.

Se você fizer isso, as chances de dar errado serão muito menores e você poderá sim descobrir a felicidade em outro país. Longe de mim desencorajar alguém a correr atrás dos seus sonhos. Mas, cautela nunca é demais.

Leia mais sobre Choque Cultural – As 4 Fases Que Você Deve Vencer.

Muitas pessoas perguntam se tenho vontade de voltar ao Brasil. Eu te digo que tenho pelo menos três vezes ao dia. Mas quando você se descobre cidadão, ainda que não tenha de fato a cidadania definitiva, fica mais difícil voltar e você acaba aprendendo a valorizar seu novo lar e conquistar seu espaço.

Morar Fora Conquitando seu espaço

O Perigo da Falta de Planejamento

Outro dia li em um post qualquer, que uma cidade italiana estava pagando vários Euros para as pessoas se mudarem para lá. Nos comentários uma porção de gente escrevendo que quer saber como faz, que já está fazendo as malas.

Essa ânsia de morar fora pode sim ser  prejudicial. Tem maluco que larga tudo sem pesquisar nada antes e “bora lá”! Se fosse fácil assim e ainda sendo pago para isso eu seria a primeira da fila.

Só esquecem de dizer que você precisa ter passaporte italiano ou europeu em geral e trazer algum benefício para a cidade. Seja fazendo algum investimento ou coisa parecida.

Mas, enfim, existem muitas formas de imigrar, se você quiser fazer da forma certa, vai com calma. É sim possível, mas pé no chão e muita pesquisa. Nesses termos, ainda mais se você tiver família por perto, vai ser uma experiência e tanto.

E você, tá pensando em imigrar? Qual país está nos planos? Conta para a gente!

Até o próximo post!

Bjos

KS.